Perícia contábil e a “Justiça entre iguais” - DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v6n18p57-64

Wilson Alberto Zappa Hoog

Resumo


Apresenta-se uma breve análise sobre o sentido e a importância das demandas judiciais, tendo como referência a frase: a justiça só se faz entre iguais. A pesquisa está lastreada em ensinamentos filosóficos que evidenciam o seu objetivo principal, estratégias e táticas em demandas, com a participação de perito-contador na assistência dos litigantes. Neste estudo tem-se a arte da guerra, como um ferramental a corroborar para o aumento da possibilidade do êxito. Conclui-se neste labor que, para o resultado de uma demanda judicial, não se pode admitir, como verdade absoluta, a existência da justiça em sua plenitude social-econômica, mas sim, o direito e uma segurança jurídica em sua plenitude social-econômica, ainda que o espírito das leis possa ser impuro, pois fatores podem alterar a boa intenção das normas jurídicas, como a falta de sabedoria ou os interesses de grupos que dizem “ser a mola que move os congressistas que aprovam as Leis”.

 


Palavras-chave


A Justiça Só Se Faz Entre Iguais; Segurança Jurídica; Princípio da Igualdade; Perícia Contábil; Demandas Judiciais; Prova; Justiça; Direito

Texto completo:

PDF


Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional