Os impactos da desoneração da folha de pagamentos em uma empresa de tecnologia da informação

Taiana Beatriz Junkes da Silveira, Fabiano Maury Raupp

Resumo


Em 2011 foi instituído o Plano Brasil Maior, com o intuitode acelerar o crescimento do investimento produtivo, o esforço tecnológico, a inovação das empresas nacionais e aumentar a competitividade dos bens e serviços nacionais. Dentre as medidas instituídas por este plano está a substituição, para alguns setores da economia, da Contribuição Previdenciária Patronal (CPP) pela Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB), ou "desoneração da folha de pagamentos". Nesse sentido, o objetivo desta pesquisaconsistiu em investigar o impacto da “desoneração da folha de pagamentos” nos gastos com mão de obraincorridos por uma empresa de tecnologia da informação localizada em Florianópolis.Foi realizada uma pesquisa exploratória, por meio de um estudo de caso, com abordagem quali-quantitativa. Os resultados indicam que a partir da implementação da desoneração da folha de pagamentos a empresa obteve uma economia nos gastos com contribuição previdenciária. Além disso, constatou-se que a partir do período em que a empresa poderá optar pelo recolhimento de uma ou outra contribuição previdenciária (CPP ou CPRB) é mais interessante a opção pela Contribuição previdenciária sobre a Receita Bruta.


Palavras-chave


Desoneração da folha de pagamento; Contribuição Previdenciária Patronal; Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Ansiliero, G., Leonardo, A. R., Paiva, L. H., Stivali, M., Barbosa, E. D., & Silveira, F. G. (2010). A desoneração da folha de pagamentos e sua relação com a formalidade no mercado de trabalho. In Castro, J. A. de, Santos, C. H. M. dos, & Ribeiro, J. A. C. (Org.). Tributação e equidade no Brasil: um registro da reflexão do IPEA no biênio 2008- 2009. Brasília: IPEA.

Banco Nacional de Desenvolvimento. Porte de empresa. Recuperado em 01 novembro, 2015, de http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Apoio_Financeiro/porte.html

Bertini, E. R., & Wunsch, P. E. R. (2014). O impacto financeiro e contábil da desoneração da folha de pagamento em indústrias calçadistas do Vale do Paranhana. Revista Eletrônica do Curso de Ciências Contábeis, 3(4), 21-50.

Cavalcanti, T. V. (2008). Tributos sobre a folha ou sobre o faturamento? Efeitos quantitativos para o Brasil. Revista Brasileira de Economia, 62(3), 249-261.

Constituição Federal de 1988. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:. Acesso em: 10/11/ 2015.

Dallava. C. C. (2014). Impactos da desoneração da folha de pagamentos sobre o nível de emprego no mercado de trabalho brasileiro: um estudo de caso a partir dos dados da RAIS. Dissertação de mestrado, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, SP, Brasil.

Decreto n. 7.540 de 2 de agosto de 2011. (2011). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília. Recuperado em 10 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7540.htm

Eckert, A., Mecca, M. S., Biasio, R., & Silveira, M. P. (2013). Impacto da desoneração da folha de pagamento: estudo de caso em uma metalúrgica fabricante de autopeças. Recuperado em 30 dezembro, 2015, de http://www.convibra.org/upload/paper/2013/34/2013_34_8207.pdf

Echevarrieta, A. C. C., Magalhães, R. A., Casagrande, M. D. H., & Rosa, P. A. (2015). Desoneração da folha de pagamento: impactos fiscais e econômicos de um hotel em Florianópolis. Revista de Gestão e Tecnologia, 5(2), 27-39.

Ferrari, M. J., Kremer, A. W., & Silva, M. C. (2014). Desoneração da folha de pagamento e comportamento dos custos das empresas de fios e tecidos do estado de Santa Catarina listadas na BM&F BOVESPA. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, Natal, RN, Brasil, 21.

Gil, A. C. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Instrução Normativa n. 971, de 13 de novembro de 2009 (2009). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília. Recuperado em 01 novembro, 2015, de http://www3.dataprev.gov.br/sislex/paginas/38/MF-RFB/2009/971.htm

Instrução Normativa n. 1.597, de 01 de dezembro de 2015. (2015). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília. Recuperado em 05 dezembro, 2015, de http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=69971

Instrução Normativa n. 1.436, de 30 de dezembro de 2013. (2013). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília. Recuperado em 05 dezembro, 2015, de http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?idAto=48917&visao=anotado

Kertzman, I. (2012). A desoneração da folha de pagamento. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil.

Koche, J. C. (2006). Fundamentos de metodologia científica. Editora Vozes LTDA.

Kimura, H., Pereira L. C. J., & Antunes, M. T. P. (2012). Análise simplificada de custos de Tecnologia de Informação. Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 10(2), 61-82.

Lei n. 8.212, de 24 de julho de 1991.(1991). Diário Oficial [da] República Federativa

do Brasil. Brasília. Recuperado em 01 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8212cons.htm

Lei n. 8.036, de 11 de maio de 1990. (1990). Diário Oficial [da] República Federativa

do Brasil. Brasília. Recuperado em 01 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8036consol.htm

Lei n. 12.546, de 14 de dezembro de 2011. (2011). Diário Oficial [da] República

Federativa do Brasil. Brasília. Recuperado em 01 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12546.htm

Lei n. 12.715, de 17 de setembro de 2012. (2012). Diário Oficial [da] República

Federativa do Brasil. Brasília. Recuperado em 01 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/Lei/L12715.htm#art55

Lei n. 13.161, de 31 de agosto de 2015. (2015). Diário Oficial [da] República

Federativa do Brasil. Brasília. Recuperado em 01 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13161.htm#art2

Ludwig, M. J., Borgert, A., & Kremer, A. W. (2016). Desoneração da Folha de Pagamento e Comportamento dos Custos em Empresas de Construção Civil. Pensar Contábil, 18(66), 14-23.

Maher, M. (2001). Contabilidade de custos: criando valor para a administração. São Paulo: Atlas.

Martins, E. (2009). Contabilidade de custos. São Paulo: Atlas.

Medida Provisória n. 540 de 2 de agosto de 2011. (2011). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília. Recuperado em 10 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/mpv/540.htm

Ministério da Fazenda. Cartilha da desoneração da folha. Recuperado em 05 novembro, 2015, de http://www1.fazenda.gov.br/portugues/documentos/2012/cartilhadesoneracao.pdf

Oliveira, A. M. B., Petri, S. M., Casagrande, M. D. H., & Rosa, M. M. (2014). O impacto da mudança de base de cálculo e alíquota da contribuição previdenciária patronal em empresas do setor moveleiro. Revista da UNIFEBE, 1(14), 35-48.

Plano Brasil Maior. Plano Brasil Maior: Inovar para competir. Competir para

crescer. (2011). Recuperado em 16 outubro, 2015, de http://www.brasilmaior.mdic.gov.br/wp-content/uploads/cartilha_brasilmaior.pdf.

Silva, W. B., Paes, N. L., & Ospina, R. (2014). A substituição da contribuição patronal para o faturamento: efeitos macroeconômicos, sobre a progressividade e distribuição de renda no Brasil. Revista Brasileira de Economia, 68(4), 517–545.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais. Rio de Janeiro: F. Alves.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v16n48.2291

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC, Florianópolis, SC, Brasil. eISSN: 2237-7662, ISSN: 1808-3781


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.