Desempenho das companhias pós-fusões e aquisições mensurado pelos filtros de Graham

Leandro Augusto Toigo, Nelson Hein

Resumo


O estudo objetiva verificar o desempenho das companhias que realizaram fusões e aquisições por meio da avaliação de desempenho com o uso dos Filtros de Graham. A pesquisa, caracterizada como descritiva, documental e quantitativa, foi realizada a partir de dados contábeis, financeiros e de mercado de quarenta e duas companhias abertas brasileiras listadas na BM&FBovespa, que realizaram fusões e aquisições com troca de controle entre os períodos de 2006 e 2010. Os dados sobre as fusões e aquisições foram coletados junto ao sítio da CVM – Comissão de Valores Mobiliários em fatos relevantes. As informações sobre o desempenho foram levantadas junto à base Economática®. Calculou-se o desempenho das quarenta e duas companhias por sete Filtros de Graham, transformados em um ranking pela aplicação do TOPSIS. Pelos resultados, verifica-se que nos cinco anos de análise as companhias tiveram variações positivas de desempenho no ranking. Como contribuição ao cálculo de desempenho das empresas, os Filtros de Graham permitiram identificar a elevação do lucro líquido, redução do endividamento, aumento dos ativos. Com esses resultados constata-se que as companhias que passaram por fusões e aquisições apresentam boa saúde financeira e baixo risco. Como conclusão, tem-se que esses resultados do desempenho das companhias pelos Filtros de Graham nos processos de fusões e aquisições, realizados no ambiente brasileiro, apresentam razoável segurança aos acionistas e bom nível de Governança Corporativa.

Palavras-chave


Fusões e aquisições; Desempenho; Filtros de Graham.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Arnott, R. D., Hsu, J., & Moore, P. (2005). Fundamental indexation. Financial Analysts Journal, 61(2), 83-99.

Artuso, A. R. (2012). Análise multivariada e filtros de graham: reconhecimento de padrões aplicado ao mercado acionário brasileiro (Doctoral dissertation, Universidade Federal do Paraná).

Artuso, A. R., & Chaves, A., Neto (2010). O uso de quartis para a aplicação dos filtros de Graham na Bovespa (1998-2009). Revista Contabilidade & Finanças, 21(52).

Benitez, J. M., Martin, J. C., & Roman, C. (2007). Using fuzzy number for measuring quality of service in the hotel industry. Tourism Management, 28(2), 544-555.

Berk, D. & Demarzo, P. (2009). Corporate Finance (2a ed.). Boston: Pearson.

Bildersee, J. S., Chen, J. J., & Zutshi, A. (1993). The performance of Japanese common stocks in relation to their net current asset values. Japan and the World Economy, 5(3), 197-215.

Bogle, J. C. (2008). A question so important that it should be hard to think about anything else. Journal of Portfolio Management, 34(2), 95.

Bogle, J. C. (2009). The Fiduciary Principle: No Man Can Serve Two Masters. Journal of Portfolio Management, 36(1), 15-25.

Bulgurcu, B. K. (2012). Application of TOPSIS Technique for financial performance evaluation of technology firms in Istanbul Stock Exchange Market. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 62(24), 1033-1040.

Calandro, J., Jr. (2009). Lessons for strategists in Graham & Dodd's security analysis. Strategy & Leadership, 37(2), 45-49.

Camargos, M. A., & Barbosa, F. V. (2003). Fusões e aquisições e takeovers: um levantamento teórico dos motivos, hipóteses testáveis e evidências empíricas. Cadernos de pesquisas em administração USP, 10(2), 17-38.

Cheung, J. H. B. (2010). Does Mr. Market Suffer from Bipolar Disorder? Journal of Behavioral Finance, 11(4), 224-238.

Damodaran, A. (2006). Filosofias de Investimento. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Ferreira, R. L. S., & Santos, D. F. L. (2014). Análise do desempenho dos filtros de Graham e o modelo de Elton-Gruber para o Brasil entre 2008 a 2012. Revista Brasileira de Administração Científica, 5(3), 183-202.

Gil, A. C. (2006). Métodos e técnicas de pesquisa social (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Gitman, L. J. (1997). Princípios de administração financeira. Harbra.

Graham, B. (2007). O Investidor inteligente. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Graham, B., & Dodd, D. L. (1951). Security analisys (3a ed.). New York: McGraw-Hill.

Gray, C. S. (2012) Airpower for Strategic Effect. Alabama: Maxwell AFB.

Hair, J. F., Jr., Babin, B., Money, A. H., & Samouel, P. (2005) Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Hwang, C. L., & Yoon, K. (1981). Multiple attributes decision making methods and applications. Berlin: Springer.

Kerlinger, F. N. (1980). Metodologia da pesquisa em ciências sociais: um tratamento conceitual. São Paulo: EPU.

Kloechner, G. O. (1994). Fusões e aquisições: motivos e evidências empíricas. Revista de Administração, 29(1), 42-58.

KPMG Cutting Through Complexity. (2013). Pesquisa de Fusões e Aquisições 2013 – 4º trimestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. Recuperado de https://www.kpmg.com/BR/PT/Estudos_Analises/artigosepublicacoes/Documents/Fusoes%20e%20Aquisicoes/2013/FA-4-trimestre-2013.pdf

Kreuzberg, F., Beck, F., Gollo, V. & Rosa, F. S. (2014). Avaliação das carteiras de investimento das empresas listadas nos níveis de governança corporativa da BM&FBovespa: Uma aplicação dos filtros de Graham. Race: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 13(3), 955-978.

Lander, J., Orphanides, A. & Douvogiannis, M. (1997). Earnings forecasts and the predictability of stock returns: evidence from trading the S&P. The Journal of Portfolio Management, 23, 4, 24-35.

Lowe, J. (1997). Value investing made easy: Benjamin Graham's classic investment. New York: McGraw-Hill.

Marion, P. J., Filho, & Vieira, G. M. (2010). Fusões e aquisições (F&A) de empresas no Brasil (1990-2006). Revista de Administração da UFSM, 3(1), 109-130.

Martins, G. A. & Theóphilo, C. R. (2009). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

Mellagi, A., Filho, & Ishikawa, S. (2003). Mercado financeiro e de capitais (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Nardi, R. Y. S. (2012). Criação de valor em fusões e aquisições: a influência do sentimento de mercado (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Oppenheimer, H. R. (1984). A test of Ben Graham’s stock selection criteria. Financial Analyst Journal, 40(5), 68-74.

Passos, V. C. S. (2006). Estratégias de investimento em Bolsa de Valores: uma pesquisa exploratória da visão fundamentalista de Benjamin Graham. (Doctoral dissertation, Faculdade de Ciências Humanas de Pedro Leopoldo, Pedro Leopoldo).

Passos, V. D. C. S., & Pinheiro, J. L. (2010). Estratégias de investimento em bolsa de valores: uma pesquisa exploratória da visão fundamentalista de Benjamin Graham. Revista Gestão & Tecnologia, 9(1), 1-16.

Shleifer, A., & Vishny, R. (1989). Management entrenchment: the case of manager-specific investments. Journal of Financial Economics, 25(3), 123-139.

Silva, D. H. F., Gallo, M. F., Pereira, C. A., & Lima, E. M. (2004). As operações de fusão, incorporação e cisão e o planejamento tributário. Anais Congresso USP Controladoria e Contabilidade, São Paulo, 4. Recuperado de http://www.eac.fea.usp.br/

Silva, W. V., Silveira, S. A. A. de, Del Corso, J. M., & Stadler, H. (2011). A influência da adesão às práticas de governança corporativa no risco das ações de empresas de capital aberto. Revista Universo Contábil, 7(4).

Singh, H., & Montgomery, C. A. (1987). Corporate acquisitions strategies and economic performance. Strategic Management Journal, 8(4), 377-386.

Wang, C., & Xie, F. (2009) Corporate governance transfer and synergistic gains from mergers and acquisitions. Review of Financial Studies, 22(2), 829-858.

Weston, J. F. (1994). The payoff in mergers and acquisitions. In M. Rock, R. H. Rock & M. Stroka (editors). The mergers and acquisitions handbook (2a ed.). New York: McGraw-Hill.

Woods, J. E. (2013). On Keynes as an investor. Cambridge Journal of Economics, 61.

Zargham, M. R., & Hu, L. (1996). Assigning weitghs to rules of an expert system based on fuzzy logic. In T. Tanaka, S. Ohsuga & M. Ali (Orgs.) Industrial and engineering applications of artificial inteligence and expert systems (pp. 189-193). Fukuoka: Gordon and Breach Publishers.

Zin, R. A. & Tarso, E. (2016). Como o pequeno investidor pode usar as Teorias de Graham e Markowitz. REAVI-Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí, 4(6), 28-41.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/rccc.v16n49.2466

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC, Florianópolis, SC, Brasil. eISSN: 2237-7662, ISSN: 1808-3781


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.