Características organizacionais e a utilização da gestão de custos no processo decisório

Antonio Zanin, Cristian Baú Dal Magro, Sady Mazzioni

Resumo


O objetivo do estudo é verificar os fatores determinantes das práticas de gestão de custos utilizadas no processo decisório de empresas da região Oeste catarinense. O levantamento de dados foi elaborado a partir da aplicação de questionário respondido por gestores de 41 empresas de distintas atividades. A pesquisa descritiva utilizou abordagem quantitativa com o uso dos testes qui-quadrado e Kruskal-Wallis. Os resultados indicaram que o método de custeio variável é o mais utilizado pelas empresas da amostra. O ramo de atividade, forma de tributação e faturamento anual mostraram-se fatores decisivos para a utilização das ferramentas de custos de produção e orçamento. O ramo de atividade mostrou-se um fator decisivo na utilização das informações de custos para formação do preço de venda e na negociação com fornecedores e clientes. O tempo de atividade apontou diferenças sobre a utilização das informações de custos para formação do preço de venda e controle dos gastos. A forma de tributação e o número de funcionários mostraram-se decisivos para a utilização das informações de custos que atendam à legislação fiscal e também na identificação de possíveis gargalos no processo produtivo e nos preços praticados.

Palavras-chave


Características organizacionais; Gestão de custos; Práticas de custos; Ferramentas de custos.

Texto completo:

PDF PDF (English) ePUB

Referências


Abbas, K., Gonçalves, M. N., & Leoncine, M. (2012). Os métodos de custeio: vantagens, desvantagens e sua aplicabilidade nos diversos tipos de organizações apresentadas pela literatura. Contexto, 12(22), 145-159.

Afonso, P. S. L. P., Wernke, R., & Zanin (2018). A. Managing the cost of unused capacity: An integrative and comparative analysis of the ABC, TABC and UEP Methods. Revista Del Instituto Internacional de Costos, 13, 150-163.

Aillón, H. S., Rocha, W., & Marques, K. C. M. (2018). Deinstitutionalization of activity basic costing: analysis from the new institutional sociology perspective. Revista Contabilidade Vista & Revista, 29, 101-129.

Beuren, I. M., & Schlindwein, N. F. (2008). Uso do custeio por absorção e do sistema RKW para gerar informações gerenciais: Um estudo de caso em hospital. ABCustos, 3(2), 27-53.

Borgert, A., & Silva, M. Z. (2005). Método de custeio híbrido para gestão de custos em uma empresa prestadora de serviços. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, Florianópolis, SC, Brasil, 19.

Bornia, A. C. (2010). Análise gerencial de custos: aplicação em empresas modernas (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Bruni, A. L., & Famá, R. (2012). Gestão de custos e formação de preços: com aplicações na calculadora HP 12C e Excel (6a ed.). São Paulo: Atlas.

Callado, A. L. C., Miranda, L. C., & Callado, A. A. C. (2003). Fatores associados à gestão de custos: um estudo nas micro e pequenas empresas do setor de confecções. Revista Produção, 13(1), 64-75.

Callado, A. A. C., & Pinho, M. A. B. (2015). Evidências de isomorfismo mimético sobre práticas de gestão de custos entre micro e pequenas empresas de diferentes setores de atividade. Contabilidade Vista & Revista, 25(2), 119-137.

Cardoso, R. L., Pereira, C. A., & Guerreiro, R. (2004). A produção acadêmica em custos no âmbito ENANPAD: uma análise entre 1998 a 2003. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, Curitiba, PR, Brasil, 28.

Chapko, M. K., Liu, C. F., Perkins, M., Li, Y. F., Fortney, J. C., & Maciejewski, M. L. (2009). Equivalence of two healthcare costing methods: bottom‐up and top‐down. Health economics, 18(10), 1188-1201.

Dalci, I., Tanis, V., & Kosan, L. (2010). Customer profitability analysis with time-driven activity based costing: A case study in a hotel. International Journal of Contemporary Hospitality Management, 22(5), 609-637.

Gonzalez, M., Nachtmann, H., & Pohl, E. (2017). Time-driven activity-based costing for health care provider supply chains. The Engineering Economist, 62(2), 161-179.

Hair, J., Babin, B., Money, A., & Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Heidhues, P., & Kőszegi, B. (2014). Regular prices and sales. Theoretical Economics, 9(1), 217-251.

Hoozée, S., & Hansen, S. C. (2017). A comparison of activity-based costing and time-driven activity-based costing. Journal of Management Accounting Research, 30(1), 143-167.

Kaplan, S. R., & Anderson, R. S. (2007). Custeio baseado em atividades e tempo. Rio de Janeiro: Elsevier.

Kim, Y. W., Han, S. H., Yi, J. S., & Chang, S. (2016). Supply chain cost model for prefabricated building material based on time-driven activity-based costing. Canadian Journal of Civil Engineering, 43(4), 287-293.

Lauscher, M. A., & Beuren, I. M. (2004). Gestão estratégica de custos. Revista de Contabilidade Vista & Revista, 15(2), 53-84.

Machado, D. G., & Souza, M. A. (2006). Análise das relações entre a gestão de custos e a gestão do preço de venda: um estudo das práticas adotadas por empresas industriais conserveiras estabelecidas no RS. Revista Universo Contábil, 2(1), 42-60.

Markantonis, V., Meyer, V., & Schwarze, R. (2012). Review Article” Valuating the intangible effects of natural hazards–review and analysis of the costing methods”. Natural Hazards and Earth System Sciences, 12(5), 1633-1640.

Martins, E. (2011). Contabilidade de custos (10a ed.). São Paulo: Atlas.

Mazo, E. M. (2003). Benchstar: metodologia de benchmarking para análise da gestão da produção nas micro e pequenas empresas. Dissertação de Mestrado em Engenharia de produção), Curso de Pós-Graduação em Engenharia de produção, Departamento de Engenharia de produção, Universidade de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Motta, F. G., & Escrivão Filho, E. (2002). Fatores influentes na adoção de métodos de custeio em pequenas empresas: estudo multicasos. Produto & Produção, 6(1).

Nakamura, E., & Steinsson, J. (2011). Price setting in forward-looking customer markets. Journal of Monetary Economics, 58(3), 220-233.

Pereira, C. C., & Beuren, I. M. (2004). Fatores determinantes na escolha do sistema de custos para dar suporte ao processo de gestão: um estudo nas grandes empresas de Santa Catarina. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 3(9), 9-30.

Rizzi, D. I., & Zanin, A. (2018). Estratégia de formação de preço de venda/serviço dos empreendedores incubados na recepeti. Holos (Natal. Online), 2, 111-127.

Santos, J. J. (2012). Fundamentos de custos para formação do preço e do lucro (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Souza, A., & Clemente, A. (2011). Gestão de custos: aplicações operacionais e estratégicas (2a ed.). São Paulo, Atlas.

Souza, M. A., & Diehl, C. A. (2009). Gestão de custos: uma abordagem integrada entre contabilidade, engenharia e administração. São Paulo, Atlas.

Souza, M. A., Fontana, F. B., & Boff, C. D. S. (2010). Planejamento e controle de custos: um estudo sobre as práticas adotadas por empresas industriais de Caxias do Sul-RS. Contabilidade Vista & Revista, 21(2), 121-151.

Van Der Merwe, A. (2009). Debating the principles: ABC and its dominant principle of work. Cost Management, 23(5), 20-28.

Zanievicz, M., Beuren, I. M., Santos, P. S. A., & Kloeppel, N. R. (2013). Métodos de Custeio: uma meta-análise dos artigos apresentados no Congresso Brasileiro de Custos no período de 1994 a 2010. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 15(49), 601-616.

Zhou, Y. (2013). Costing methodologies and cost management practices: A survey of Chinese companies. In 2013 International Conference on Computational and Information Sciences (pp. 454-457). IEEE.

Zuccolotto, R., & Colodeti Filho E. (2007). Gerenciamento de preços em empresas de pequeno porte por meio do custeio variável e do método de Monte Carlo. Enfoque: Reflexão Contábil, 26(3), 39-52.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-766220192793

Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional