Empregabilidade no setor contábil, modalidade de formação acadêmica e gênero: qual a relação?

Lucas Fernandes Rocha, Marli Auxiliadora da Silva

Resumo


Investigou-se, nesta pesquisa, a relação entre as variáveis: empregabilidade, modalidade de formação acadêmica e gênero, a fim de identificar se os profissionais da contabilidade consideram os antecedentes educacionais e o gênero em suas decisões de contratações, discutindo, também, a opinião destes com relação à equivalência entre cursos ministrados presencialmente e on-line. Os dados, coletados de uma amostra de 188 proprietários de organizações contábeis de quatro microrregiões do Triângulo Mineiro, revelaram um perfil de respondentes, em sua maioria, do gênero masculino (70,7%), com formação em nível superior (67,7%) e idade média de 47 anos. Prevalecem profissionais que não conhecem ou vivenciaram o ensino a distância (EaD) (66,5%). Em 16 organizações não há nenhuma mulher no quadro funcional. Os dados analisados por meio da Estatística Descritiva, Análise de Frequência e Teste t-Student confirmaram que em situações de decisão de contratação há preferência por candidatos e candidatas que tenham obtido sua graduação por meio do ensino presencial. Constatou-se, em uma escala de 0 a 10, que a maior média de recomendação é para candidatas do gênero feminino que tenham cursado sua graduação na modalidade de ensino presencial (=8,67). Confirmou-se, portanto, a relação entre a empregabilidade, usada como proxy para a decisão de contratação, a formação acadêmica na modalidade de ensino presencial, e o gênero feminino nas preferências contratuais de profissionais da contabilidade. Os resultados apontam ainda que 58,51% da amostra investigada consideram que as faculdades e cursos ministrados de forma on-line são inferiores aos presenciais.

Palavras-chave


Empregabilidade; Formação Acadêmica; Ciências Contábeis; Gênero; Ensino Presencial; Ensino à Distância.

Texto completo:

PDF PDF (English) ePUB

Referências


Adams, J. (2008). Understanding the factors limiting the acceptability of online courses and degrees. International Journal on E-Learning, 7(4), 573-587. Recuperado de http://pilotmedia.com/adams/xPDF/improve_onlinedegrees.pdf

Belloni, M. L. (2008). Educação a distância. Campinas: Autores Associados.

Boniatti, A. O., Velho, A. S., Pereira, A., Pereira, B. B., & Oliveira, S. M., (2014). A evolução da mulher no mercado contábil. Revista Gedecon-Gestão e Desenvolvimento em Contexto, 2(1), 19-27. Recuperado de revistaeletronica.unicruz.edu.br/index.php/GEDECON/article/download/304/400

Brighenti, J., Jacomossi, F., & Silva, M. Z. (2015). Desigualdades de gênero na atuação de contadores e auditores no mercado de trabalho catarinense. Enfoque: Reflexão Contábil, 34(2), 109-122. Recuperado de http://ojs.uem.br/ojs/index.php/Enfoque/article/view/27807

Carnevale, D. (2007). Employers often distrust online degrees. The Chronicle of Higher Education, 53(18). A28-A29. Recuperado de https://www.scopus.com/record/display.uri?eid=2-s2.0-41149118760&origin=inward&txGid=c4f48d0c0b96823b6115831c5cb67665

Carvalho, A. H. (2013). A evolução histórica da educação a distância no Brasil: avanços e retrocessos (Monografia). Recuperado de http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/4653/1/MD_EDUMTE_II_2012_01.pdf

Carvalho, P. R. (2017). Trabalho criativo e qualificação profissional: um desafio. Revista Espaço Acadêmico, 196, 133-144. Recuperado de http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/34363/20619

Casa Nova, S. P. C. (2014). Gênero e contabilidade: a imagem profissional e a imagem do profissional. In R. F. L. Azevedo. O profissional da contabilidade: desenvolvimento de carreira, percepções e seu papel social. São Paulo: Editora Senac.

Casey, D. M. (2008). The historical development of distance education through technology. TechTrends, 52(2), 45-51. Recuperado de https://link-springer-com.ez34.periodicos.capes.gov.br/content/pdf/10.1007%2Fs11528-008-0135-z.pdf

Conselho Federal de Contabilidade. Resolução CFC nº 1.372/11. (2011). Dispõe sobre o Registro Profissional dos contadores e técnicos em contabilidade. Recuperado de: http://www1.cfc.org.br/sisweb/SRE/docs/Res_1372.pdf.

Cordeiro, A., & Rausch, R. B. (2011). O processo de ensino na modalidade a distância: facilidades e dificuldades na percepção de discentes do curso de Ciências Contábeis. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 10(30), 43-60. Recuperado de http://revista.crcsc.org.br/index.php/CRCSC/article/view/1226/1162

Costa, E. G. (2016). Tendências contemporâneas em educação superior a distância no mundo e no Brasil. Espacio Abierto, 25(3), 265-289. Recuperado de http://www.redalyc.org/jatsRepo/122/12249678020/12249678020_visor_jats.pdf

Costa, K. S., & Faria, G. G. (2008). EaD – sua origem histórica, evolução e atualidade brasileira face ao paradigma da educação presencial. Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, Santos, SP. Recuperado de http://www.abed.org.br/congresso2008/tc/552008104927am.pdf

Costa, M. R. (2014). A formação profissional na educação superior: perfil de empregabilidade dos egressos de uma Universidade do Sul do Brasil. Reunião Científica da Região Sul - ANPED SUL, Florianópolis, SC. Recuperado de http://xanpedsul.faed.udesc.br/arq_pdf/1320-0.pdf

Costa, V. M. F., Schaurich, A., Stefanan, A., Sales, E., & Richter, A. (2014). Educação a distância x educação presencial: como os alunos percebem as diferentes características. Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância, Florianópolis, SC. Recuperado de http://esud2014.nute.ufsc.br/anais-esud2014/files/pdf/126878.pdf

Crease, R., Pymm, B., & Hay, L. (2011). Bridging the gap - engaging distance education students in a virtual world. Ascilite Conference, Hobart Tasmânia, Austrália. Recuperado de http://www.ascilite.org/conferences/hobart11/downloads/papers/Crease-concise.pdf

Cunha, J. V. A., Cornachione Júnior, E. B., & Martins, G. A. (2010). Doutores em ciências contábeis: análise sob a óptica da teoria do capital humano. RAC, 14(3), 532-557. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v14n3/v14n3a09.pdf

Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. (2017). Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/D9057.htm

Grossman, A. M., & Johnson, L. R. (2017). How employers perceive online accounting education: Evidence from Kentucky. Journal of Accounting Education, 40, 19-31. Recuperado de http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0748575116301804

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep. (2018). Sinopse estatística da educação superior 2017. Brasília: Inep. Recuperado de http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior

Jeancola, M. M. (2011). An investigation into the perception of online degrees earned as credentials for obtaining employment in public accounting firms. Tese de Doutorado. Recuperado de http://ufdc.ufl.edu/UFE0042715/00001

Kirkham, L. M., & Loft, A. (1993). Gender and the construction of the professional accountant. Accounting, Organizations and Society, 18(6), 507-558. Recuperado de http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/036136829390002N

Kohlmeyer, J. M., Seese, L. P., & Sincich, T. (2011). Online versus traditional accounting degrees: perceptions of public accounting professionals. Advances in Accounting Education: Teaching and Curriculum Innovations, 12, 139-165. Recuperado de https://www.emeraldinsight.com/doi/abs/10.1108/S1085-4622%282011%290000012009

Madalozzo, R., Martins, S. R., & Shiratori, L. (2010). Participação no mercado de trabalho e no trabalho doméstico: homens e mulheres têm condições iguais? Estudos Feministas, 18(2), 547-566. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ref/v18n2/15.pdf

Moreno, M. M., dos Santos, F. V., & dos Santos, C. B. (2015). O fortalecimento da mulher na área contábil: crescimento e valorização profissional. Estudos, 42(2), 201-210. Recuperado de http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/estudos/article/download/4018/2321

Mugnol, M. (2009). A educação a distância no Brasil: conceitos e fundamentos. Revista Diálogo Educacional, 9(27), 335-349. Recuperado de http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/dialogo?dd1=2738&dd99=view&dd98=pb

Petry, J. F., Borges, G. R., & Domingues, M. J. C. S. (2014). Ensino a distância: um panorama da expansão na região Norte do Brasil. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, 7(3), 2014. Recuperado de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/EeN/article/view/2358/1958

Portaria nº 1.428, de 28 de dezembro de 2018. (2018). Dispõe sobre a oferta, por Instituições de Educação Superior - IES, de disciplinas na modalidade a distância em cursos de graduação presencial. Diário Oficial da União, Brasília. Recuperado de http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=31/12/2018&jornal=515&pagina=59&totalArquivos=184

Raj, S., & Al-Alawneh, M. (2010). A perspective on online degrees vs. face-to-face in the academic field. Learning International Networks Consortium, Cambridge, Massachusetts. Recuperado de https://linc.mit.edu/linc2010/proceedings/session16Raj.pdf

Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). (2018). Microdados. Recuperado de ftp://ftp.mtps.gov.br/pdet/microdados/RAIS/

Ronchi, S. H., & Reina, D. R. M. (2011). A educação a distância em contabilidade no Brasil: uma análise curricular. Congresso UFSC de Iniciação Científica em Contabilidade, Florianópolis, SC. Recuperado de http://dvl.ccn.ufsc.br/congresso/anais/4CCF/20101217095246.pdf

Sadik, A. (2016). Factors affecting the acceptability of online degrees: evidence from two Arab countries. International Journal of Emerging Technologies in Learning (iJET), 11(12). Recuperado de http://online-journals.org/index.php/i-jet/article/view/6022/4202

Schultz, T. W. (1960). Capital formation by education. The Journal of Political Economy, 68(6), 571-583.

Seibold, K. N. (2007). Employers’ perceptions of online education. Tese de Doutorado. Recuperado de http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.428.4318&rep=rep1&type=pdf

Silva, A. P., Lourtie, P., & Aires, L. (2013). Employability in online higher education: a case study. The International Review of Research in Open and Distributed Learning, 14(1), 106-125. Recuperado de http://www.irrodl.org/index.php/irrodl/article/view/1262

Silva, D. J. M., & Silva, M. A. (2018). Mulheres na contabilidade: os estereótipos socialmente construídos sobre a contadora. ASAA Journal, 11(1), 71-91. Recuperado de file:///C:/Users/user/Dropbox/Disserta%C3%A7%C3%A3o/SILVA%20E%20SILVA%202018.pdf

Tabatabaei, M., & Gardiner, A. (2012). Recruiters’ perceptions of information systems graduates with traditional and online education. Journal of Information Systems Education, 23(2), 133-142. Recuperado de http://jise.org/Volume23/23-2/pdf/Vol23-2pg133.pdf

Vieira, L. F. K, Souza, A. R. L., Behr, A., & Momo, F. S. (2016). EAD na contabilidade: uma análise de sua efetivação de uso no curso de ciências contábeis da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Revista Gestão Universitária na América Latina - GUAL, 9(2), 27-48. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/gual/article/view/1983-4535.2016v9n2p27




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-766220192847

Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional