Estágio como fonte de conhecimento ou mão-de-obra menos onerosa? - DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v5n15p9-18

Autores

  • Elisete Dahmer Pfischer
  • Joisse Antônio Lorardi
  • Sérgio Marian
  • Letícia Fátima Nascimento
  • Paulo César Pfischer
  • Michely Nascimento

Palavras-chave:

Gestão de conhecimento. Estágios, Ensino versus aprendizagem.

Resumo

A interação entre a gestão de conhecimento e os estágios leva a uma avaliação dos procedimentos adotados pelas empresas concedentes. Os estagiários, por sua vez, esperam obter benefícios de ensino e aprendizagem, como também econômicos. Estes últimos na maioria das vezes ocorrem para subsidiar as despesas advindas da sua permanência na universidade. Contudo, quando iniciam a tão almejada etapa deestágio, normalmente a partir da 5ª fase, se deparam com uma realidade não esperada. Alguns são utilizados como  ubstitutos de outros funcionários, servindo assim como "mão-de-obra barata," pela não incidência dos encargos sociais. Notificase, entretanto, que a aplicação dos conhecimentos obtidos na academia pode proporcionar oportunidades profissionais aos acadêmicos, se existir uma melhor forma de monitoramento, integrando instituições de ensino e empresas.

Biografia do Autor

Elisete Dahmer Pfischer

Doutora em Engenharia da Produção e professora na Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.

Joisse Antônio Lorardi

Mestre em Ciências Contábeis e professora na UFSC.

Sérgio Marian

Mestrando em Contabilidade.

Letícia Fátima Nascimento

Acadêmica do curso de Ciências Contábeis da UFSC.

Paulo César Pfischer

Acadêmico do curso de Ciências Contábeis da UFSC.

Michely Nascimento

Acadêmica do curso de Ciências Contábeis da UFSC.

Downloads

Publicado

25/10/2011

Como Citar

Pfischer, E. D., Lorardi, J. A., Marian, S., Nascimento, L. F., Pfischer, P. C., & Nascimento, M. (2011). Estágio como fonte de conhecimento ou mão-de-obra menos onerosa? - DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v5n15p9-18. Revista Catarinense Da Ciência Contábil, 5(15), p. 09–18. Recuperado de https://revista.crcsc.org.br/index.php/CRCSC/article/view/1154

Edição

Seção

Artigos