Aplicação de recursos públicos no ensino fundamental: será que o gasto interfere no desempenho?

Autores

  • Valkyrie Vieira Fabre Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Daiani Schlup Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Jardel Pandini Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v16n47p42-50

Palavras-chave:

Contabilidade pública, Gestão pública, Educação fundamental, Desempenho, Eficiência.

Resumo

O objetivo geral desta pesquisa foi comparar o gasto público com o desempenho dos alunos, nos pequenos municípios do Estado de Santa Catarina. Trata-se de uma pesquisa descritiva, com enfoque predominantemente quantitativo, baseada em levantamento e coleta de dados documentais. Foi trabalhada uma amostra de 25 Municípios com menos de 50.000 habitantes, no período de 2011 a 2014, identificando o gasto anual por aluno, relacionando-o com a taxa de aprovação dos estudantes e o desempenho no IDEB. O gasto médio anual por aluno foi de R$ 8.529,68. Foi constatada grande disparidade nos valores praticados pelos Municípios (diferença de até 462%), o que, comparado com as divergentes e elevadas taxas de aprovação média (96,6%) e os distintos desempenhos no IDEB levou à conclusão de que não existe relação entre o gasto público na rede municipal de ensino e o desempenho dos estudantes.

 


Biografia do Autor

Valkyrie Vieira Fabre, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Doutoranda em Contabilidade (UFSC), Mestre em Contabilidade (UFSC), Especialista Auditoria Pública (UFSC), Especialista em Direito Público (UNIVALI), Especialista em Contabilidade Pública (UNIVALI). Professora efetiva do Departamento de Ciências Contábeis (UDESC). Endereço: Rua Siegolf Radlouff, n. 76, Ponto Chic | Ibirama/SC | Brasil.

Daiani Schlup, Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestranda em Ciências Contábeis (FURB), Graduada de Ciências Contábeis (UDESC). Endereço: Rua Ascurra, n. 40, Nova Stettin | Ibirama/SC | Brasil.

Jardel Pandini, Universidade do Estado de Santa Catarina

Graduado de Ciências Contábeis (UDESC). Contador da Câmara de Vereadores de Ituporanga. Endereço: Rua Arthur Vanselow, n. 45, Apto 02, Dalbérgia | Ibirama/SC | Brasil.


Referências

Afonso, A. J. (2012). Para uma conceitualização alternativa de accountability em educação. Educação e Sociedade. Campinas, 33(119), 471-484. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302012000200008

Birchler, K., & Michaelowa, K. (2016). Making aid work for education in developing countries: An analysis of aid effectiveness for primary education coverage and quality. International Journal of Educational Development, 48, 37-52. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ijedudev.2015.11.008

Conselho Federal de Contabilidade (2008). Resolução 1.128, de 21 de novembro de 2008. Aprova a NBC T 16.1 – Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação. Recuperado em 11 de março, 2016 de http://portalcfc.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2013/01/Setor_P%C3%BAblico.pdf.

Campanha Nacional pelo Direito à Educação (n.d.). Estudos e Pesquisas. Recuperado em 11 março, 2016, de http://www.campanhaeducacao.org.br/?pg=Pesquisas

Fabrino, R. J. G., do Valle, B. S., & Gomes, R. C. (2014). The cost of educational effectiveness: Evidence from financing basic education in Brazil. The International Journal of Management Education, 12 (2), 151-166. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ijme.2014.03.007

Faria, F. P., Jannuzzi, P. D. M., & Silva, S. J. D. (2008). Eficiência dos gastos municipais em saúde e educação: uma investigação através da análise envoltória no estado do Rio de Janeiro. Revista de Administração Pública, 42 (1), 155-177. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-76122008000100008

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (n.d.). Portal IDEP. Recuperado em 15 novembro, 2015, de http://portal.inep.gov.br/web/portal-ideb/portal-ideb.

Lei 12.527, de 18 de novembro de 2011 (2011). Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei no 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei no 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Brasília, 2011. Recuperado em 15 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm

Martins, E. (2010). Contabilidade de Custos (10a ed.). São Paulo: Atlas.

Ministério da Educação (2007). Plano do Desenvolvimento da Educação. Recuperado em 25 fevereiro, 2016, de http://portal.mec.gov.br/arquivos/livro/livro.pdf

Ministério do Orçamento e Gestão (1999). Portaria 42, de 14 de abril de 1999: Atualiza a discriminação da despesa por funções. Recuperado em 10 outubro, 2016, de http://www3.tesouro.gov.br/legislacao/download/contabilidade/portaria42.pdf

Organização das Nações Unidas (1948). Declaração Universal dos Direitos Humanos. Recuperado em 20 fevereiro, 2016, de http://www.dudh.org.br/wp-content/uploads/2014/12/dudh.pdf

Pinto, J. M. R. (2005). Uma análise do financiamento da educação no Estado da Califórnia, EUA. Cadernos de Pesquisa, 35(126), 699-722. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742005000300009

Silva, M. C. D., Souza, F. J. V. D., & Araújo, A. O. (2013). Análise da eficiência dos gastos públicos com educação nas capitais brasileiras. ConTexto, 13(24), 7-21.

Souza, F. J. V. de; Silva, M. C., & Araújo, A. O. (2014). Análise da eficiência dos gastos públicos em educação dos municípios do estado do Rio Grande do Norte nos anos de 2007 e 2009. Anais do Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 9.

Secretaria do Tesouro Nacional (n.d.). Sistema de Coleta de Dados Contábeis. Recuperado em 05 agosto, 2015, de https://www.contaspublicas.caixa.gov.br/sistncon_internet/index.jsp

Yuan, C., & Zhang, L. (2015). Public education spending and private substitution in urban China. Journal of Development Economics, 115, 124-139. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jdeveco.2015.02.006

Publicado

28/04/2017

Como Citar

Fabre, V. V., Schlup, D., & Pandini, J. (2017). Aplicação de recursos públicos no ensino fundamental: será que o gasto interfere no desempenho?. Revista Catarinense Da Ciência Contábil, 16(47). https://doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v16n47p42-50

Edição

Seção

Artigos