O Exame de Suficiência na percepção dos alunos de Ciências Contábeis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.16930/2237-766220202952

Palavras-chave:

Exame, Suficiência, Perspectiva, Alunos, Contabilidade.

Resumo

O Exame de Suficiência é definido pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC) como prova de equalização destinada a comprovar a obtenção de conhecimentos médios, consoante aos conteúdos programáticos desenvolvidos nos cursos de bacharelado em Ciências Contábeis. Considerando esse contexto, este artigo objetiva identificar as percepções dos alunos sobre a realização do exame de suficiência. O estudo classifica-se em pesquisa exploratório-descritiva, dispondo de coleta de dados realizada por meio de um questionário aplicado pessoalmente pelos pesquisadores, contando com a participação de 188 alunos de graduação em Ciências Contábeis (cerca de 58,75% da população), de uma universidade pública do Estado de Mato Grosso, no ano de 2019. Os dados foram tratados com as seguintes técnicas estatísticas: estatística descritiva (média, mediana, frequência, máximo, mínimo e soma) e análise fatorial. Os resultados da pesquisa indicam que a importância e necessidade de aplicação do exame de suficiência para a profissão contábil é considerada a mais valorizada pelos discentes. Na análise fatorial, ficou evidente que valorização profissional tem maior peso nas percepções dos alunos (88,15%), seguido do ambiente acadêmico com 6,39%. Conclui-se que o Exame de Suficiência, na percepção dos alunos, é um instrumento que valoriza a profissão contábil, entretanto é necessário que os docentes discutam mais pontualmente sobre essa temática em sala de aula.

Biografia do Autor

Joelson Viscovini da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso

Universidade do Estado de Mato Grosso. Endereço: Rua Guanandi, 02 | Santos Dumont | 78211-395 | Cáceres/MT | Brasil.

Almir Rodrigues Durigon, Universidade do Estado de Mato Grosso

Universidade do Estado de Mato Grosso. Endereço: Rua Marcílio Dias, 243 | São Luiz | 78205-155 | Cáceres/MT | Brasil.

Juliana Vitória Vieira Mattiello da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso

Universidade do Estado de Mato Grosso. Endereço: Rua dos pescadores, 06| Cavalhada | 78216-110 | Cáceres/MT | Brasil.

Rubens dos Santos, Universidade do Estado de Mato Grosso

Universidade do Estado de Mato Grosso. Endereço: Rua dos Mutuns, 261| Santa Isabel | CEP 78205-750| Cáceres/MT | Brasil.

Referências

Akerlof, G. A. (1978). The market for “lemons”: Quality uncertainty and the market mechanism. In Uncertainty in economics (pp. 235-251). Academic Press. DOI: https://doi.org/10.1016/B978-0-12-214850-7.50022-X

Barroso, D. V. (2018). Exame de Suficiência Profissional como indicador da Qualidade da Educação Contábil: Analisando as características das IES e seus índices de aprovação. Dissertação de mestrado, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil.

Becker, G. (1986). The public interest hypothesis revisited: A new test of Peltzman's theory of regulation. Public choice, 49(3), 223-234. DOI: https://doi.org/10.1007/BF00127340

Bolt-Lee, C., & Foster, S. (2003). The core competency framework: A new element in the continuing call for accounting education change in the United States. Accounting Education, 12(1), 33-47. DOI: https://doi.org/10.1080/0963928031000074486

Bugarim, M. C. C., Rodrigues, L. L., Pinho, J. C. C., & Machado, D. Q. (2014). Análise histórica dos resultados do exame de suficiência do conselho federal de contabilidade. Revista Contabilidade e Controladoria, 6(1). DOI: https://doi.org/10.5380/rcc.v6i1.33455

Conselho Federal de Contabilidade (1999). Resolução CFC n. 853. Institui o Exame de Suficiência como requisito para obtenção de Registro Profissional em CRC. Brasília: CFC.

Conselho Federal de Contabilidade (2007). Caderno analítico do exame de suficiência: histórico dos resultados. Brasília: CFC.

Conselho Federal de Contabilidade (2015). Resolução CFC n. 1486. Regulamenta o Exame de Suficiência como requisito para obtenção de Registro Profissional em Conselho Regional de Contabilidade (CRC). Brasília: CFC.

Corrar, L., Paulo, E., Dias Filho, J. M., & Rodrigues, A. (2011). Análise multivariada para os cursos de administração, ciências contábeis e economia.

Cox, C., & Foster, S. (1990). The costs and benefits of occupational regulation. Washington, DC: Bureau of Economics, Federal Trade Commission.

Fávero, L. P. L., Belfiore, P. P., Silva, F. L. D., & Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Figueiredo, A. E. S., Pederneiras, M. M. M., Saeger, M. M. D. M. T., Silva Filho, G. M. da, & Nascimento, D. J. do (2017). Exame de suficiência profissional na perspectiva de graduandos do Curso de Ciências Contábeis: Um estudo em uma instituição pública de Ensino Superior. Revista de Contabilidade Dom Alberto, 6(11), 156-177.

Galvão, N. (2016). Percepção dos contadores sobre o exame de suficiência do CFC. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 15(45), 49-62. DOI: https://doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v15n45p49-62

Graddy, E. (1991). Toward a general theory of occupational regulation. Social science quarterly, 72(4), 676-695.

Grant, C. T., Ciccotello, C. S., & Dickie, M. (2002). Barriers to professional entry: how effective is the 150-hour rule? Journal of Accounting and Public Policy, 21(1), 71-93. DOI: https://doi.org/10.1016/S0278-4254(02)00037-6

Hair Jr, J. F., Anderson, R. E., Tatham, R. L., & Black, W. C. (2009). Tradução: Adonai Schlup Sant ‘Anna e Anselmo Chaves Neto. Análise Multivariada de Dados, 5.

Hair, J., Babin, B., Money, A., & Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Bookman Companhia Ed.

Lei nº 12.249 (2010). [...] altera os Decretos-Leis nº 9.295, de 27 de maio de 1946, 1040, e 21 de outubro de 1969 [...]. Brasilia, DF: Presidência da República.

Leland, H. E. (1979). Quacks, lemons, and licensing: A theory of minimum quality standards. Journal of political economy, 87(6), 1328-1346. DOI: https://doi.org/10.1086/260838

Madeira, G. J., Mendonça, K. F. C., & Abreu, S. M. (2003). A disciplina teoria da contabilidade nos exames de suficiência e provão. Contabilidade Vista & Revista, 14, 103-122.

Marconi, M. D. A., & Lakatos, E. M. (2010). Fundamentos de Metodologia Cientifica (7a ed.). Rio de Janeiro: Editora Atlas.

Miranda, C. D. S., Araújo, A. M. P. D., & Miranda, R. A. D. M. (2017). O exame de suficiência em contabilidade: uma avaliação sob a perspectiva dos pesquisadores. Revista Ambiente Contábil, 9 (2), 158-178.

Morikawa, M. (2018). Occupational licenses and labor market outcomes in Japan. Japan and the World Economy, 48, 45-56. DOI: https://doi.org/10.1016/j.japwor.2018.07.002

Maroco, J. (2003). Análise estatística: com utilização do SPSS.

Nogueira, D. R., Nova, S. P. D. C. C., & Carvalho, R. C. O. (2012). O bom professor na perspectiva da geração Y: uma análise sob a percepção dos discentes de Ciências Contábeis. Enfoque: reflexão contábil, 31(3), 37-52. DOI: https://doi.org/10.4025/enfoque.v31i3.16895

Pagliero, M. (2011). What is the objective of professional licensing? Evidence from the US market for lawyers. International journal of industrial organization, 29(4), 473-483. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ijindorg.2010.09.002

Peltzman, S. (1976). Toward a more general theory of regulation. The Journal of Law and Economics, 19(2), 211-240. DOI: https://doi.org/10.1086/466865

Peterson, B. K., & Reider, B. P. (2002). Perceptions of computer-based testing: a focus on the CFM examination. Journal of Accounting Education, 20(4), 265-284. DOI: https://doi.org/10.1016/S0748-5751(02)00015-5

Rabuske, E. (1995). Antropologia filosófica. Petrópolis: São Paulo: Vozes.

Santos, G. C., & Andrade, S. A. (2016). Exame de Suficiência sobre a Perspectiva dos Profissionais da Contabilidade que Tiveram Artigos Publicados em Revistas com Qualis B3. RAGC, 4(15).

Sprenger, K. B., Kronbauer, C. A., Silvestre, A. O., Azevedo, E. R., & Alves, T. W. (2018). Fatores explicativos dos índices de aprovação no exame de suficiência contábil. ConTexto, 18(38).

Stigler, G. J. (1971). The theory of economic regulation. The Bell journal of economics and management science, 3-21. DOI: https://doi.org/10.2307/3003160

Souza, C. N. P., Barreto, T. V., & Gomes Filho, A. S. (2019). Percepção Docente sobre o Exame de Suficiência Contábil: Um Estudo em uma Instituição de Ensino Superior do Município de Icó, Ceará-Brasil. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 13(43), 280-294. DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i43.1500

Thornton, R. J., Timmons, E., & De Antonio, D. (2017). Licensure or license? prospects for occupational deregulation. Labor Law Journal, 68(1), 46-578.

Publicado

25/05/2020

Como Citar

Silva, J. V. da, Durigon, A. R., Mattiello da Silva, J. V. V., & Santos, R. dos. (2020). O Exame de Suficiência na percepção dos alunos de Ciências Contábeis. Revista Catarinense Da Ciência Contábil, 19. https://doi.org/10.16930/2237-766220202952

Edição

Seção

Artigos