Estratégia de Ataque Tríplice nos Sistemas de Apuração e Análise de Custos das Empresas Construtoras - DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v3n7p39-48

Antonio Reske Filho, Carlos Antônio De Rocch

Resumo


A sistemática operativa das empresas construtoras apresenta várias singularidades, que devem ser levadas em consideração quando se planeja o Sistema de Informação Contábil e, por extensão, o Sistema de Apuração e Análise de Custos destas Entidades Contábeis. A quase totalidade das empresas construtoras trabalha no atendimento de encomendas. Para cada nova obra é necessário redefinir todo o planejamento e programação das operações, incluindo o quadro de pessoal, deslocamento e reposicionamento dos equipamentos e máquinas, e, não raro, também das equipes de venda. A maior parte dos materiais utilizados nas obras é de alta densidade física e baixa densidade econômica, sendo mais conveniente estocá-los diretamente no local onde serão consumidos (vale dizer, a obra), o que conduz a problemas logísticos de armazenamento, segurança e controle dos estoques. A perfeita evidenciação da fenomenologia gestiva das empresas construtoras exige que todas estas singularidades sejam devidamente consideradas no planejamento contábil dessas entidades, e de forma especial no seu sistema de custeamento. Os autores entendem que, para a Contabilidade, uma empresa construtora deve entendida como um Ilaparelho de produção", que pode ser mantido temporariamente em situação de repouso, sem nada produzir nem vender, ou ser ativado e acelerado até o pleno emprego, Nível de Atividade (NdA) no qual o volume de produção e/ou das vendas conduz a que um ou mais dos fatores econômicos disponíveis alcance sua utilização máxima total. Quando estruturado na forma proposta pela Contabilidade Funcional, o Sistema de Informação Contábil é capaz de e/evar simultânea e independentemente os três efeitos ou aspectos dos atos gestivos; efeito Investimentos, efeito Resultados e efeito Liquidez. Igualmente, o Sistema de Informação Contábil deve ser subdividido em dois subsistemas menores, o Sistema Contábil Formal e o Sistema Contábil Gerencial. O segundo tem a seu cargo cálculos e estatísticas relacionados com a produção e as vendas, o custeamento dos produtos (obras) e a orçamentação. O mais importante instrumento de relevação utilizado pelo Sistema Contábil Gerencial é o Sistema de Apuração e Análise de Custos (SAAC). As características da produção e as singularidades dos produtos exsumidos e comercializados pelas empresas construtoras exigem que o custeamento seja conduzido de forma a permitir uma evidenciação multidimensional dos custos. Conseqüentemente, a Contabilidade Interna (Contabilidade Gerencial) deverá ser estruturada de forma a permitir uma avaliação multidimensional, semelhante à proposta pela Estratégia de Ataque Tríplice, proposta por Robert Koehler em 1991. No caso das empresas construtoras, os instrumentos de custeamento mais aconselháveis são o Custeamento Direto, para orientação do planejamento logístico, uma técnica de planejamento e custeamento baseado em grafos sagitais, como o CPM (Custeamento por Caminho Crítico) para orientação do planejamento tático, e o Custeamento Baseado em Oportunidades para orientação e apoio do planejamento estratégico.

Texto completo:

PDF


Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional