A Utilização de Análise Contábil e Cálculos na Abertura de Empresas e Averiguação da Suficiência na Constituição do Capital - DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v8n22p27-41

Rodrigo Antônio Chaves da Silva

Resumo


O objetivo deste artigo é tratar dos primeiros cálculos empresariais que devem ser realizados por um contador, quando do início de uma formação patrimonial, ou seja, na criação de um empreendimento. O patrimônio é mais importante do que os registros contabilísticos, sendo que pouca relevância foi dada a este aspecto, até nos questionamentos dos cursos superiores, nas lições de contabilidade geral, ministradas pelas faculdades do Brasil, muito menos, nas cadeiras de análise de balanço, devido à escassez de literatura sobre o assunto e à sua não citação nas grades curriculares de consultoria contábil; não por menos, na prática de escritórios profissionais, existe a ausência de exploração suficiente. Justifica-se a formação deste artigo breve, devido à carência de ostentação e aprofundamento do tema em toda a Literatura contábil brasileira, com exceção da obra de Steintrasser (1957), que formulou uma solução ao problema, senão a única, nas obras de análise do que se pesquisa. As proposições colocadas aqui, longe de querer resolver todos os problemas desses estudos, apontam apenas um caminho para a solução dos mesmos com originalidade.

Palavras-chave


Capital Suficiente; Constituição de Empresas; Fórmula de Capital Necessário. Quocientes de Suficiência e Risco; Análise da Constituição de Empresas

Texto completo:

PDF


Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional