O processo de desconcentração e pulverização dos investimentos e a popularização do mercado de ações brasileiro pós 2001 - DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v9n26p45-61

Joelcy José Sá Lanzarini, Jamerson Viegas Queiroz, Natália Veloso, Hélio Roberto Hékis

Resumo


Visando a ampliar o número de investidores no mercado de renda variável, foram criadas pela BOVESPA diversas ferramentas operacionais e programas educativos, que facilitaram a difusão e deram maior agilidade ao mercado de capitais. Entre estes, surgiram os clubes de investimentos que podem ser entendidos como associações voluntárias de investidores, os quais, de forma consorciada, realizam aplicações no mercado de capitais, administrando diretamente essas carteiras com a assistência e assessoria de instituições especializadas (bancos, sociedades corretoras, etc,). O presente trabalho tem por objetivo apresentar as mudanças ocorridas no processo de desconcentração do mercado e a pulverização dos investimentos ocorridos na BOVESPA, hoje BM&FBOVESPA, a partir de 2001, visando à popularização do mercado de ações no Brasil. Fará cumprir os objetivos, utilizou-se a pesquisa bibliográfica e a coleta de dados em órgãos do Banco Central do Brasil e na BM&FBOVESPA. O estudo mostrou que as mudanças recentes na bolsa levaram à inclusão de milhões de investidores minoritários, que até então desconheciam o mercado de capitais ou consideravam-no elitista e concentrado. Estas mudanças oportunizaram a estes investidores a possibilidade de obter mais rentabilidade que a oferecida pelos investimentos formais do mercado, embora com maior grau de risco. Atualmente, o mercado de capitais brasileiro está muito mais desconcentrado, pulverizado e popular do que já o foi e isto se reflete nos milhões de brasileiros, oportunizados e incluídos neste mercado. O número de investidores aumentou consideravelmente, assim como o número de clubistas e de clubes de investimentos.

Palavras-chave


Bolsa de Valores; Clube de Investimentos; Popularização.

Texto completo:

PDF


Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional