Avaliação da produtividade de ativos: estudo de caso em fábrica de produtos descartáveis

Rodney Wernke, Ivone Junges, Lia Schlickmann

Resumo


O artigo relata estudo de caso que objetivou mensurar o desempenho da empresa pesquisada por intermédio de quatro indicadores contábeis. Pretendeu-se responder questão relacionada à tendência da evolução desses indicadores no contexto da empresa pesquisada durante o segundo semestre de 2014. Para tanto, inicialmente são evidenciados os conceitos inerentes aos parâmetros de análise mencionados. Em seguida são abordados os aspectos metodológicos do estudo de caso (descritivo e qualitativo), são descritas as etapas percorridas para calcular os indicadores citados e apresentados e comentados os resultados apurados. Concluiu-se que a tendência verificada foi inadequada quanto à produtividade dos ativos, pois os valores obtidos indicaram baixa produtividade dos ativos utilizados. Além disso, apurou-se trajetória evolutiva divergente dos parâmetros mensurados, indicando cenários conflitantes. Finalizando o texto foram ressaltadas algumas limitações e mencionadas as conclusões do estudo efetuado.

Palavras-chave


Produtividade de ativos; Comparativo; Fábrica de descartáveis.

Referências


A. T. Kearney (2002). Como converter ativos em lucros. HSM Management, 34, 88-96.

Alcalde, A. (2010). Efeitos hierárquicos na margem EBITDA: influências do tempo, firma e setor. Dissertação de mestrado em Controladoria e Contabilidade. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Andrade, M. M. de (2002). Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação: noções práticas (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Anthony, R. N., & Govindarajan, V. (2002). Sistemas de controle gerencial. São Paulo: Atlas.

Bade, B. (2009). Comment on "The weighted average cost of capital is not quite right". Quarterly Review of Economics and Finance, 49(4), 1476-1480. doi: 10.1016/j.qref.2009.05.002

Bassan, H., & Martins, R. A. (2015). Geração de riqueza em empresas vencedoras do PNQ: uma análise usando EVA. Produção. São Paulo. Recuperado em 8 março, 2016, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65132015005015413&lng=pt&nrm=iso

Borttoluzzi, S. C., Ensslin, S. R., & Ensslin, L. (2011). Avaliação de desempenho multicritério como apoio à gestão de empresas: aplicação em uma empresa de serviços. Gestão & Produção, São Carlos, 18(3), 633-650.

Bruni, A. L. (2013). Avaliação de investimentos: com modelagem financeira no Excel (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Casarotto Filho, N. (2002). Projeto de negócio: estratégias e estudos de viabilidade, redes de empresas, engenharia simultânea, plano de negócio. São Paulo: Atlas.

Copeland, T., Koller, T., & Murrin, J. (2000). Avaliação de empresas “valuation”: calculando e gerenciando o valor das empresas. São Paulo: Makron Books.

Colombo, V. L. B., Hoffmann, R., Platt Neto, O. A., & Bolfe, C. (2014). Diferenças entre o valor do EBITDA divulgado pelas SA e o apurado metodologicamente: estudo de 257 SA brasileiras listadas na BM&FBOVESPA. Anais do Congresso UFSC de Controladoria e Finanças, Florianópolis, SC, Brasil, 5.

Drucker, P. F. (2004). Peter Drucker na prática. Rio de Janeiro: Elsevier.

Eastman, K. (1997). EBITDA: an overrated tool for cash flow analysis. Commercial Lending Review, Spring, 12, 2. ABI/FORM Global.

Ehrbar, A. (1999). EVA – Valor Econômico Agregado: a verdadeira chave para a criação de riqueza. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Hazarika, I. (2014). Performance metrics versus wealth metrics of Dubai telecommunication sector. Proceedings of the International Business Information Management Association Conference – IBIMA, Valencia, Spain, 23.

Hong, M-G. (2010). A study on the effect of knowledge asset on the firm performance. Global Business Administration Review, 7(2), 233-252.

Horngren, C. T., Foster, G., & Datar, S. M. (1999). Cost accounting: a managerial emphasis. New Jersey: Prentice Hall.

Kassai, J. R., Kassai, S., Santos, A., & Assaf Neto, A. (2000). Retorno de investimento: abordagem matemática e contábil do lucro empresarial (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Keef, S. P., Khaled, M. S., & Roush, M. L. (2012). A note resolving the debate on "The weighted average cost of capital is not quite right". Quarterly Review of Economics and Finance, 52(4), 438-442. doi: 10.1016/j.qref.2012.07.004

King, A. M. (2001). Warning: use of EBITDA may be dangerous to you. Strategic Finance, 83(4).

Kraus, K., & Lind, J. (2010). The impact of the corporate balanced scorecard on corporate control: a research note. Management Accounting Research, 21, 265–277.

Kumar, S. (2013). An inter industry analysis of EVA® versus traditional corporate financial performance measures: evidence from Indian market. Journal of Managerial and Financial Accounting, 5(3), 219–252. doi: 10.1504/IJMFA.2013.058544

Lopo, A., Brito, L., Silva, P. R., & Martins, E. (2001). Avaliação de empresas: da mensuração contábil à econômica. In FIPECAFI, Eliseu Martins (org.). São Paulo: Atlas.

Marques, K. C. M., Camacho, R. R., & Alcantara, C. C. V. de. (2015). Avaliação do rigor metodológico de estudos de caso em contabilidade gerencial publicados em periódicos no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças – USP, 26(67), 27-42.

Martins, E., Diniz, J. A., & Miranda, J. G. (2012). Análise avançada das demonstrações contábeis: uma abordagem crítica. São Paulo: Atlas.

Martins, E., & Martins, V. A. (2015). Contabilidade e finanças: a temerária utilização do WACC. Revista Universo Contábil, 11(1), 25-46.

Mendéz, C. A. B. (2007). EBITDA es un indicador financiero contable de agregación de valor? Capiv Review, 5, 41-54.

Miller, R. A. (2009). The weighted average cost of capital is not quite right. Quarterly Review of Economics and Finance, 49(1), 128-138. doi: 10.1016/j.qref.2006.11.001

Padoveze, C. L. (2013). Contabilidade de custos: teoria, prática, integração com sistemas de informações (ERP). São Paulo: Cengage Learning.

Padoveze, C. L., & Benedicto, G. C. (2004). Análise das demonstrações financeiras. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Pierru, A. (2009). "The weighted average cost of capital is not quite right": a comment. Quarterly Review of Economics and Finance, 49(3), 1219-1223. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.qref.2008.08.002

Regis, F., Santos, R. F. dos, & Santos, N. M. B. F. (2010). Análise do Economic Value Added (EVA®) no setor eletroeletrônico – utilização da metodologia com base na criação de valor: o caso do Grupo FRM. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, Belo Horizonte, MG, Brasil, 17.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa social: métodos e técnicas (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Scapens, R. W. (1990). Researching management accounting practice: the role of case study methods. British Accounting Review, 22, 259-281.

Schmidt, P., Santos, J. L. dos & MARTINS, M. A. dos S. (2014). Manual de controladoria. São Paulo: Atlas.

Skrinjar, R., Bosilj-Vuksic, V. & Indihar-Stemberger, M. (2008). The impact of business process orientation on financial and non-financial performance. Business Process Management Journal, 14(5), 738-754.

Stewart, G. B. (2005). Em busca do valor: o guia de EVA para estrategistas. Porto Alegre: Bookman.

Stumpp, P. M. (2000). Putting EBITDA in perspective: ten critical failings of EBITDA as the principal determinant of cash flow. Moody´s Investor Service Global Credit Research, Special Comment, June.

Szuster, N., Cardoso, R. L., Szuster, F. R., Szuster, F. R., & Szuster, F. R. (2008). Contabilidade geral: introdução à contabilidade societária (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Tortella, B. D., & Brusco, S. (2003). The Economic Value Added (EVA): an analysis of market reaction. Advances in Accounting, 20, 265-290.

Warren, C. S., Reeve, J. M., & Fess, P. E. (2001). Contabilidade gerencial. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Wernke, R., Junges, I., & Schlickmann, L. (2015). Aplicação comparativa entre EVA e EBITDA: estudo de caso em empresa fabril. Revista Contemporânea de Contabilidade - UFSC, 12(27).

Wernke, R., Maia, B. H. M., & Lembeck, M. (2013). Mensuração do EVA em empresa constituída por quotas de responsabilidade limitada: estudo de caso em prestadora de serviços na área da saúde. Revista Iberoamericana de Contabilidad de Gestión, XI, 22-40.

White, G. I., Sondhi, A. C. & Fried, D. (1997). The analysis and use of financial statement (2nd ed.). New York: John Wiley and Sons.

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e método (3a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Young, S. D. & O’Byrne, S. (2003). EVA e gestão baseada em valor: guia prático para implementação. Porto Alegre: Bookman.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v16n47p69-86



Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC, Florianópolis, SC, Brasil. eISSN: 2237-7662, ISSN: 1808-3781


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.