Adaptações necessárias para implantação do Bloco K do SPED fiscal nas organizações

Débora Alline de Mello, David Rodrigo Petry, Jorge Carlos Paludo, Ieda Margarete Oro

Resumo


O Bloco K é o livro de registro de controle de produção e estoques na versão digital exigido pelo SPED no Brasil. Trata das informações fiscais e tributárias detalhadas dos estabelecimentos das pessoas jurídicas. A exigência desse novo conjunto de informações pelo fisco vem apresentando algumas dificuldades nas organizações para sua implantação. Assim, o objetivo deste artigo visa identificar quais são as principais adaptações administrativas e gerenciais necessárias para a mudança no sistema de controle dos estoques de produtos nas empresas, em relação à implantação do Bloco K no SPED Fiscal. Quanto aos procedimentos metodológicos caracteriza-se como uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, realizada por meio de questionário aplicado no departamento fiscal de cinco empresas catarinenses. Os resultados evidenciam que o Bloco K influência direta e positivamente nas empresas, as quais estão percebendo dificuldades em sua implantação, como problemas com o sistema interno, falhas de configuração, cadastros incompletos e falta de conhecimento para trabalhar com o Bloco K. O estudo permitiu ainda concluir que, mesmo considerando as dificuldades elencadas para a implantação do Bloco K, o sistema traz benefícios que impactam positivamente na gestão das empresas, pois fortalece o sistema de controles internos e proporciona maior confiabilidade nas informações geradas. Fatores relacionados ao elevado custo de implantação também foram evidenciados. Esse resultado reforça a importância da empresa estar se aperfeiçoando ao máximo, investindo em conhecimento e tecnologia, para estar preparada para a evolução.

Palavras-chave


SPED Fiscal; Bloco K; Controle de Produção e do Estoque.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Ajuste Sinief Confaz 17, 21 de outubro de 2014. (2014). Despacho do secretário Executivo. Recuperado de http://www1.fazenda.gov.br/confaz/confaz/atos/despacho/ 2014/dp195_14.htm

Ajuste Sinief Confaz 18, 18 de outubro de 2013. (2013). Recuperado de http://www.normaslegais.com.br/legislacao/ajuste-sinief-18-2013.htm

Ajuste Sinief Confaz 8, de 2 de outubro de 2015. (2015). Recuperado de https://www. confaz.fazenda.gov.br/legislacao/ajustes/2015/aj_008_15

Alves, C. R. (2015). Artigo - Bloco K – EFD ICMS/IPI. Recuperado de http://crcgo.org.br/novo/ wp-content/uploads/2015/04/BlocoK.pdf

Bompan, F. (2015). Bloco K do S SPED Fiscal, empresas terão que enviar controle e produção e de estoque. Recuperado de http://www.acesaovicente.com.br/noticias

Bompan, F. (2015). SPED ainda gera dúvidas e preocupa empresários do país. Recuperado de http://www.martinsalves.com.br/noticias/autor/fernanda-bompan/pagina/2.html

Cooper, D. R., & Schindler, P. S. (2011). Métodos de pesquisa em administração (10a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Cruz, S. M. S. da, Librelotto, L. I., Ferroli, P. C., Bonatti, C. A., & Zanin, R. F. (1998). Gerenciamento dos sistemas de informação. Anais do Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Recuperado de http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART462.pdf

Decreto nº 6022, de 22 de Janeiro de 2007. (2007). Institui o Sistema Público de Escrituração Digital – Sped. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/Decreto/D6022.htm

Fernandes, E. (2015). Bloco K: Uma visão integrada. 2015. Recuperado de http://alfonsin.com.br/bloco-k-uma-viso-integrada

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de Pesquisa (4a ed.). São Paulo: Atlas.

Gomes, M. S. (2014). Ressurreição do Livro Modelo 3 (Bloco K). Recuperado de http://fernandesfigueiredo.com.br/ressurreicao-do-livro-modelo-3-bloco-k/

Jesus, J. L. F. (2015). SPED Fiscal – Empresas terão que enviar Controle da Produção e de Estoque. Recuperado de http://www.confirp.com.br/sped-fiscal-empresas-terao-que-enviar-controle-da-producao-e-de-estoque/

Joaquim Filho, J. (2015). Programas SPED - Penalidades Promovidas pela Lei nº 12.766/12. Recuperado de: http://www.contabeis.com.br/artigos/1126/programas-sped-penalidades-promovidas-pela-lei-1276612

Leão, T. (2016). Bloco K do SPED Fiscal: entenda o que é, para que serve e prepare-se. Recuperado de http://www.nomus.com.br/blog-industrial/2015/06/bloco-k-do-sped-fiscal-entenda-o-que-e-para-que-serve/#sthash.Jb3kw6pm.dpuf

Lei nº 12.766, de 27 dezembro de 2012. (2012). Recuperado de http://www.planalto. gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12766.htm

Maciel, E. (2015). Instrução Normativa SRF nº 86, de 22 de outubro de 2001 comentada. Recuperado de https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=75073

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2009). Técnicas de Pesquisa (4a ed.). São Paulo: Atlas.

Martins, E. (2015). Bloco K do SPED é prorrogado para 2016. Publicado 21 de outubro de 2015. Recuperado de http://edmilsonmartins.com/tags/bloco-k/

Oliveira, F. (2014). Empresas ainda não estão preparadas para o Bloco K, do Sped. Jornal Contábil.

Passos, G. R. P. (2010). SPED – Sistema Público de Escrituração Digital: um novo paradigma em termos de conformidade tributária. Dissertação de Mestrado, Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado.

Receita Federal do Brasil. (2015). SPED: Sistema Público de Escrituração Digital. Recuperado de http://www1.receita.fazenda.gov.br/sistemas/sped-fiscal/o-que-e.htm

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa Social: métodos e técnicas (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Rocha, C. (2012). Contabilidade de Custos. São Paulo: Editora IOB.

Rocha, C. A., & Almeida, C. B. S. (2014). Bloco H e Bloco K: Aspectos teóricos e práticos (1a ed.). São Paulo: Iobstore.

Somasundaram, G., & Shrivastava, A. (2011). Armazenamento e gerenciamento de informações: como armazenar, gerenciar e proteger informações digitais. Bookman: São Paulo.

Sped Brasil. (2015). Recuperado de www.spedbrasil.net

Young, L. H. B. (2009). SPED – Sistema Público de Escrituração Digital. Curitiba: Juruá.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v17n50.2284

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC, Florianópolis, SC, Brasil. eISSN: 2237-7662, ISSN: 1808-3781


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.