Aplicação da análise fatorial para identificação dos principais indicadores de desempenho econômico-financeiro em instituições financeiras bancárias

Júlia Alves e Souza, Douglas José Mendonça, Gideon Carvalho de Benedicto, Francisval de Melo Carvalho

Resumo


Este estudo tem como objetivo identificar, por meio da análise fatorial, os indicadores econômico-financeiros mais relevantes para a avaliação do desempenho das instituições financeiras bancárias. São englobadas 118 instituições financeiras bancárias com atividades no Brasil, ao longo dos anos de 2011 a 2014. Realiza-se um estudo quantitativo e descritivo. Para a análise dos dados, utiliza-se a técnica estatística de análise fatorial. No processo de aplicação da técnica, verificou-se a adequação geral do modelo e de cada uma das variáveis, de forma a identificar os principais indicadores que deverão compor as avaliações de instituições bancárias. O estudo foi desenvolvido a partir de um conjunto inicial de 17 indicadores, utilizados para analisar o desempenho econômico-financeiro de tais instituições. Seguindo os critérios das técnicas de análise fatorial, foram selecionados os indicadores que explicam o máximo de variância a partir do menor número possível de variáveis. Os resultados mostram que os indicadores mais relevantes para a avaliação do desempenho dessas instituições são: Retorno sobre o Investimento Total, Margem Líquida, Retorno sobre o Patrimônio Líquido, Relação Capital/Depositantes, Índice Empréstimos/Depósitos, Liquidez Imediata, Encaixe Voluntário e Índice de Sensibilidade de Juros. Esses 8 indicadores podem, ainda, ser substituídos por 3 fatores, os quais explicam aproximadamente 89,23% da variância total dos dados. Os fatores "Rentabilidade e Lucratividade", "Capital e Liquidez" e "Encaixe e Sensibilidade aos Juros" permitem classificar e comparar o desempenho das instituições financeiras bancárias.


Palavras-chave


Indicadores econômico-financeiros; Análise das demonstrações contábeis; Contabilidade bancária; Análise fatorial.

Referências


Assaf, A., Neto. (2012). Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico-financeiro (10a ed.). São Paulo, SP. Atlas.

Banco Central do Brasil. (2015). 50 maiores bancos e o consolidado do Sistema Financeiro Nacional. Recuperado de http://www4.bcb.gov.br/top50/port/top50.asp

Bezerra, F. A., & Corrar, L. J. (2006). Utilização da análise fatorial na identificação dos principais indicadores para avaliação do desempenho financeiro: uma aplicação nas empresas de seguros. Revista Contabilidade & Finanças, 17(42), 50-62.

Borges, R. C., Benedicto, G. C. de, & Carvalho, F. de M. (2014). Utilização da análise fatorial para identificação dos principais indicadores de avaliação de desempenho econômico-financeiro em cooperativas de crédito rural de Minas Gerais. Organizações Rurais & Agroindustriais, 16(4), 466-480.

Brigham E. F., & Ehrhardt M. C. (2016). Administração Financeira: teoria e prática (14a ed.). São Paulo, SP: Cengage Learning.

Buesa, M., Heijs, J., & Baumert, T. (2010). The determinants of regional innovation in Europe: A combined factorial and regression knowledge production function approach. Research Policy, 39(6), 722-735.

Callado, A. A. C., Callado, A. L. C., & Mendes, E. (2015). Padrões de uso de indicadores de desempenho: uma abordagem multivariada para empresas agroindustriais do setor avícola localizadas no estado de Pernambuco. Latin American Journal of Business Management, 6(2), 216-236.

Carvalho, F. L.; Bialoskorski, S., Neto. (2007). Um ensaio sobre a análise de desempenho em cooperativas agropecuárias. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 7.

Castro, J. K. (2015). Avaliação de desempenho financeiro de empresas brasileiras de energia a partir da análise fatorial e árvore de decisão. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, Florianópolis, SC, Brasil.

Circular BCB n. 1.273, de 29 de dezembro de 1987 (1987). Às Instituições Financeiras e demais Entidades Autorizadas a Funcionar pelo Banco Central do Brasil. Circular Normativa. Brasília, DF: Banco Central do Brasil.

Cleary, S., & Hebb, G. (2016). An efficient and functional model for predicting bank distress: in and out of sample evidence. Journal of Banking & Finance,64, 101-111.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa (5a ed.). São Paulo, SP: Atlas.

Hair, J. F., Jr., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados (6a ed.). Porto Alegre, RS: Bookman.

Herrera, T. F., Gómez, J. M., & Granadillo, E. de La H. (2012). Aplicación de análisis discriminante para evaluar el comportamiento de los indicadores financieros en las empresas del sector carbón en Colombia. Entramado, 8(2), 64-73.

Januzzi, F. V., Coelho, M. de F., Gonçalves, C. A., & Vieira, L. M. (2015). Robustez na análise de dados financeiros: análise fatorial associada à regressão em painel. Revista Ciências Administrativas, 21(1), 163-183.

Jayaraman, A. R., Srinivasan, M. R., & Arunachalam, R. (2014). Impact of merger and acquisition on the efficiency of Indian banks: a pre-post analysis using data envelopment analysis. International Journal of Financial Services Management, 7(1), 1-18.

Lee, C. C., Hsieh, M. F., & Yang, S. J. (2014). The relationship between revenue diversification and bank performance: do financial structures and financial reforms matter? Japan and the World Economy, 29, 18-35.

Louzada, L. C., Oliveira, J. P. D., Silva, A. F. P. da, & Gonçalves, M. A. (2016). Análise comparativa entre os indicadores econômico-financeiros aplicados às indústrias manufatureiras listadas na Bovespa. REAVI-Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí, 5(7), 17-36.

Martins, G. A., & Theóphilo, C. (2007) Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo, SP: Atlas.

Matarazzo, D. C. (2010). Análise financeira de balanços: abordagem gerencial (7a ed.). São Paulo, SP: Atlas.

Martínez, C. M., & Sepúlveda, M. A. R. (2012). Introducción al análisis factorial exploratorio. Revista Colombiana de Psiquiatría, 41(1), 197-207.

Miranda, V. L. (2008). Impacto da adoção das IFRS (Internacional Financial Reporting Standards) em indicadores econômico-financeiros de bancos de alguns países da União Europeia (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo - USP, São Paulo, SP, Brasil.

Naves, C. D. F. B. (2007). A sustentabilidade financeira das cooperativas de crédito rural: um estudo de caso no estado de São Paulo. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo - USP, Ribeirão Preto, SP, Brasil.

Pereira, J. C. R. (1999). Análise de dados qualitativos: estratégias metodológicas para as ciências da saúde humanas e sociais. São Paulo, SP: Edusp.

Puente-Palacios, K. E., & Laros, J. A. (2009). Análise multinível: contribuições para estudos sobre efeito do contexto social no comportamento individual. Estudos de Psicologia, 26(3), 349-61.

Saunders, A. (2000). Administração de instituições financeiras (2a ed.). São Paulo, SP: Atlas.

Silva, J. P. da. (2016). Análise financeira das empresas (13a ed.). São Paulo, SP: Cengage Learning.

Viana, A. B. N. (2005). Estatística Aplicada à Administração: análise do uso em pesquisas na área e construção de ambiente virtual de ensino-aprendizagem. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo – USP, Ribeirão Preto, SP, Brasil.

Zha, Y., Liang, N., Wu, M., & Bian, Y. (2016). Efficiency evaluation of banks in China: A dynamic two-stage slacks-based measure approach. Omega, 60, 60-72.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v16n47p26-41



Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC, Florianópolis, SC, Brasil. eISSN: 2237-7662, ISSN: 1808-3781


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.