Modelo de Cinco Fatores de Risco: precificando carteiras setoriais no mercado acionário brasileiro

Matheus Duarte Valente Vieira, Vinicius Mothé Maia, Marcelo Cabús Klotzle, Antonio Carlos Figueiredo

Resumo


O prêmio de risco dos ativos é a variável central dos modelos de finanças que buscam estimar o custo do capital das empresas, custo esse empregado, por exemplo, na avaliação do preço das ações. São diversos os modelos empregados para o cálculo do prêmio de risco. Os modelos de Fama e French são amplamente conhecidos e difundidos. Em 2015, Fama e French apresentaram um novo modelo com a introdução de dois novos prêmios de risco. Devido à relevância do tema e à possibilidade de conseguir novas informações a partir desse novo modelo, o objetivo do trabalho é realizar um estudo no mercado de ações brasileiro a partir de uma amostra composta por empresas listadas na Bolsa de Valores de São Paulo (BMF&Bovespa), testando a capacidade de precificação setorial dos fatores de risco presentes no recente modelo de 5-fatores, proposto por Fama e French (2015a). Para a realização da pesquisa foram utilizadas as empresas listadas na Bovespa entre o período de janeiro de 2008 e dezembro de 2015. Os resultados apontam para uma importância maior do prêmio de risco atrelado aos investimentos, estatisticamente significativo em três dos cinco setores da economia estudados.

Palavras-chave


Modelo de Precificação; 5-Fatores de Risco; Mercado de Ações Brasileiro; Carteiras Setoriais; Regressões SUR.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Aharony, G., Grudy, B. & Zeng, Q. (2013). Stock returns and the Miller Modigliani valuation formula: revisiting the Fama French analysis. Journal of Financial Economics, 110(2), 347-357.

Black, F, Jensen, C., & Scholes, M. (1972). The capital asset pricing model: some empirical tests. Studies in the Theory of Capital Markets, Praeger Publishers Inc, 54 p.

Brooks, C. (2014). Introductory Econometrics for Finance (3rd. ed.). Cambridge University Press: New York, 740 p.

Caldeira, J, Moura, G., & Santos, A (2013). Seleção de Carteiras Utilizando o Modelo. Revista Brasileira de Economia, 67(1), 45-65.

Carhart, M.M. (1997). On persistence in mutual fund performance. Journal of Finance, 52(1), 57-82.

Costa, N. da, Jr., & Neves, M. (2000). Variáveis fundamentalistas e os retornos das ações. Revista Brasileira de Economia, 54(1), 123-137.

Damodaran, A. (2012). Investment Valuation: Tools and Techniques for Determining the Value of Any Asset (3rd. ed.) Wiley Finance, 992 p..

Duarte, P., Lamounier, W., & Takamatsu, R. (2007). Modelos Econométricos para Dados em Painel: Aspectos Teóricos e Exemplos de Aplicação à Pesquisa em Contabilidade e Finanças. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, 7.

Fama, E., & French, K. (1992). The cross-section of expected stock returns. Journal of Finance, 47(2), 427-465.

Fama, E., & French, K. (1993). Common risk factors in the returns on stocks and bonds. Journal of Financial Economics, 33(1), 3-56.

Fama, E., & French, K. (1995). Size and book-to-market factors in earnings and returns. Journal of Financial Economics, 50 (1), 131-155.

Fama, E., & French, K. (2004). The Capital Asset Pricing Model: Theory and Evidence. Journal of Economic Perspectives, 18(3), 25– 46.

Fama, E., & French, K. (2006). The Value Premium and the CAPM. Journal of Finance, 61(5), 2163-2185.

Fama, E., & French, K. (2015a). A five-factor asset pricing model. Journal of Financial Economics, 116, 1-22.

Fama, E., & French, K. (2015b). Dissecting Anomalies with a Five-Factor Model. Fama-Miller Working Paper, Tuck School of Business Working Paper No. 2503174.

Fama, E., & French, K. (2015c). International Tests of a Five-Factor Asset Pricing Model. Fama-Miller Working Paper, Tuck School of Business Working Paper No. 2622782.

Jegadeesh, N., & Titman, S. (1993). Returns to buying winners and selling loosers: Implications for stock market efficiency. Journal of Finance, 48(1), 65-91.

Leite, A, Pinto, A., & Klotzle, M. (2016). Efeitos da Volatilidade Idiossincrática na Precificação de Ativos. Revista Contabilidade & Finanças, 27(70), 98-112.

Lintner, J. (1965). The valuation of risk assets and the selection of risky investments in stock portfolios and capital budgets. The Review of Economics and Statistics, 47(1), 13-37.

Markowitz, H. (1952). Portfolio selection. The Journal of Finance, 7(1), 77–91.

Mossin, J. (1966). Equilibrium in capital asset market. Econometrica, 34, 768-783.

Neves, M. (1996). Utilização do beta, índice P/L, valor de mercado e valor contábil na relação risco-retorno no mercado acionário brasileiro. Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas). Universidade Federal do Rio de Janeiro - COPPEAD.

Novy-Marx, R. (2012). Is momentum really momentum? Journal of Financial Economics, 103(3), 429-453.

Roll, R. (1977). A critique of the asset pricing theory´s test: part I: on past and potential testability of the theory. Journal of Financial Economics, 4, 129-176.

Sharpe, W. F. (1964). Capital asset prices: a theory of market equilibrium under conditions of risk. Journal of Finance, 19, 425-443.

Stambaugh, R. (1982). On the Exclusion of Assets from Tests of the Two-Parameter Model: A Sensitivity Analysis, Journal of Financial Economics, 10 (3), 237-268.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v16n48.2376

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC, Florianópolis, SC, Brasil. eISSN: 2237-7662, ISSN: 1808-3781


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.