Finanças comportamentais: análise dos fatores do efeito manada em empresas listadas na [B]³

Vanessa Meneses Silva, Wenner Glaucio Lopes Lucena

Resumo


Este trabalho baseou-se na Teoria do Prospecto (Kahneman & Tversky, 1979), sob a ótica da heurística do efeito manada, e teve como objetivo geral investigar a relação entre a crise do subprime, a publicação de notícias e o tamanho da empresa com comportamento manada nas 100 companhias com os maiores volumes de negociações listadas na [B]3 – Brasil Bolsa Balcão, no período de 2007 a 2016. A fim de alcançá-lo, foi utilizado inicialmente como metodologia o modelo de cross-sectional absolute deviation of returns (CSAD), proposto por Chang, Cheng e Khorana (2004), para a identificação da presença do efeito manada. As relações entre as variáveis foram analisadas por meio da regressão do modelo de dados em painel com efeitos fixos e erros-padrão robustos. De maneira geral, os resultados encontrados indicaram a existência de relação positiva entre o comportamento manada, a crise do subprime e a publicação de notícias boas; entretanto, revelou uma relação negativa com o tamanho da empresa. Para a variável Notícias Ruins os resultados não evidenciaram significância estatística (p-valor > 0,26), por isso a hipótese de existência de relação negativa entre o efeito manada e a publicação de notícias ruins foi rejeitada. Diante disso, entende-se que os investidores são influenciados pelas notícias positivas referentes às empresas, e isto tende a gerar neles um comportamento de investimento semelhante ao apresentado pelos grupos maiores de investidores, ou seja, o efeito manada.

Palavras-chave


Efeito Manada; Crise; Notícias.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Agnew, J. R., &Szykman, L. R. (2005). Asset allocation and information overload: the influence of information display, asset choice, and investor experience. The JournalofBehavioralFinance, 6(2), 57-70.

Almeida, R. P. (2011). O comportamento manada em mercados acionários latino-amerimayos. Dissertação de mestrado em Administração, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Amir, E., &Ganzach Y. (1998). Overreaction and underreaction in analysts forecasts. Journal of Economic Behavior and Organization, 37, 333-347.

Araujo Neto, L. M. de, Serrano, A. L. M., Oliveira Neto, J. C. da C., Freitas,R. L. C. de & Abreu, E. S. de. (2016). Efeito manada no mercado de capitais: um estudo com gerentes de bancos públicos do Distrito Federal. Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 15(2), 601-620.

Ariely, D. (2008). Previsivelmente irracional: as forças ocultas que formam as nossas decisões. Tradução de Jussara Simões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Arruda, P. B. (2006). Uma investigação sobre o efeito disposição. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Banerjee, A. V. (1992). A simple model of herd behavior. Quarterly Journal of Economics, 107(3), 797-817.

Barberis, N., & Thaler, R. (2003). A survey of Behavioural Finance. Working Paper Series, 1, 1053-1128.

Bastos, E. de S., Rosa, M. P., & Pimenta, M. M. (2016). Os impactos da Operação Lava Jato e da crise internacional do petróleo nos retornos anormais e indicadores contábeis da Petrobras 2012-2015.Pensar Contábil, 18(67), 49-56.

Bhaduri, S. N., & Mahapatra, S. D. (2013). Applying an alternative test of herding behavior: A case study of the Indian stock Market. Journal of Asian Economics, 25, 43–52.

Bikhchandani, S., Hirshleifer, D., & Welch I. (1992). A theory of fads, fashion, custom, and cultural change as informational cascades. Journal of Political Economy, 100(5), 992-1026.

Bikhchandani, S., & Sharma, S. (2001). Herd Behavior in Financial Markets. IMF Staff Papers, 47(3) 279-310.

Borsato, J. M. L. S., Costa, R. B. da, Pimenta, D. P., & Ribeiro, K. C. de S. (2009). Otimismo e excesso de confiança: Um estudo do perfil comportamental dos indivíduos, à luz das finanças comportamentais. Anais doSemeAd, São Paulo, SP, Brasil, 12.

Chang, E., Cheng, J., & Khorana, A. (2004).An examination of herd behavior in equity markets: an international perspective. Journal of Banking & Finance, 24, 1651-1679.

Chiang, T. C., &Dazhi, Z. (2010). An empirical analysis of herd behavior in global stock markets. Journal of Banking & Finance, 34, 1911-1921.

Chiao, C., Hung, W., & Lee, C. F. (2011). Institutional, trading and opening price behavior: evidence from a fast emerging market. Journal of Financial Research, 34(1), 131-154.

Choi, N., &Sias, R. W. (2009). Institutional industry herding. Journal of Financial Economics, 94(3), 469-491.

Christie, W. G., & Huang, R. D. (1999). Following the pied piper: do individual returns herd around the market? Financial Analysts Journal, 51(4), 31-37.

Cont, R., & Bouchaud, J-P. (2000). Herd behavior and aggregate fluctuations in financial markets. Microeconomic Dynamics, 4, 170-196.

Cutler, D. M., Porteba, J. M., & Summers, L. H. (1989). What moves stock prices? Journal of Portifolio Management, 15(3), 4-12.

Delitala, M., &Lorenzi, T. (2014) A mathematical model for value estimation with public information and herding. Kinetic and Related Models, 7(1), 29-44.

Damodaran, A. (2010). Equity Risk Premiums (ERP): Determinants, Estimation and Imprications.Stern School of Business, 1-89.

During, B. Juengel, A., & Trussardi, L. (2017). A kinetic equation for economic value estimation with irrationality dnd herding. Kinetic and Related Models, 10(1), 239-261.

Dzielinski, M. (2011). News sensitivity and the cross-section of stock returns. Social Science Research Network, Rochester, NY. Recuperado em 19 janeiro, 2017, de http://www.zora.uzh.ch/49785/4/Dzielinski_New_sensivity_and_the_cross-section_of_stock_returns-V.pdf

Field, A. (2009). Descobrindo a estatística usando o SPSS (2a ed.). Porto Alegre, RS, Brasil.

Flores, S. A. M., Vieira, K. M., & Coronel, D. A. (2013). Influência de fatores comportamentais na propensão ao endividamento. R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte. 12(2),13-35.

Fu, T. & Lin, M. (2010). Herding in China equity market. International. Journal of Economics and Finance, 2(2), 148-156.

Gil, A. C. (2010). Como Elaborar Projetos de Pesquisa (5a ed.). São Paulo, SP, Brasil.

Halfeld, M., & Torres, F. de F. L. (2001) Finanças comportamentais: aplicações no contexto brasileiro. Revista de Administração de Empresas, 41(2), 64-71.

Gujarati, D. N., &Dawn C. P. (2011). Econometria Básica (5a ed.). Porto Alegre: AMGH.

Hwang, S., & Salmon, M. (2001). A New Measure of Herding and Empirical Evidence. Financial Econometrics research Centre – Working Papers Series. London, England.

Hwang, S., & Salmon, M. (2004). Market stress and herding. Journal of Empirical Finance, 11(4), 585-616.

Kahneman, D., & Tversky, A. (1979) Prospect Theory: an analysis of decision under risk. Econometrica, 47(2), 263 – 292.

Keynes, J. M. (1936). The general theory of employment, interest and money. London: Macmillan.

Kimura, H. (2003). Aspectos comportamentais associados às reações do mercado de capitais. Revista de Administração de Empresas (RAE), 2(1), 2-14.

Kremer, S., & Nautz, D. (2013). Causes and consequences of short-term institutional herding. Journalof Banking andFinance, 37(5) 1676-1686.

Kutchukian, E. (2010). O efeito manada nos fundos de investimento no Brasil: um teste em finanças comportamentais. Dissertação de mestrado em Administração, Fundação Getúlio Vargas (FGV), São Paulo, SP, Brasil.

Kutchukian, E., Dana, S., & Eid Jr., W. (2010). O Efeito Manada nas captações de fundos de investimento no Brasil entre 2005 e 2009. Anais do Encontro Brasileiro de Finanças, 10. Recuperado em 21 janeiro, 2017, de http://bibliotecadigital.fgv.br/ocs/index.php/ebf/10EBF/paper/view/1921/1010

Lakonishok, J., Shleifer, A., & Vishny, R. W. (1992). The impact of institutional trading on stock prices. Journal of Financial Economics, 32(1), 23-43.

Lam, C. F., Derue, D. S., Karam, E. P., & Hollenbeck, J. R. (2011). The impact of feedback frequency on learning and task performance: challenging the more is better assumption. Organizational Behavior and Human Decision Processes, 116(2), 217–228.

Leone, R. J. G., & Guimarães, T. C. (2012). O comportamento financeiro durante e após a crise financeira de 2008 sob a ótica da teoria dos prospectos. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 17(3), 119-140.

Lobão, J., & Serra, A. P. (2002). Herding behavior: evidence from Portuguese mutual funds. Workingpaper. Recuperado em 23 janeiro, 2017, de http://www.fep.up.pt/investigacao/cempre/actividades/sem_fin/sem_fin_01/PAPERS_PDF/paper_sem_fin_20jun02.pdf

Lucena, W. G. L., Costa, A. M. M., & Aragão, F. B. (2013). Finanças Comportamentais: Evidências do benefício da aquisição de medicamentos genéricos na população de Caruaru/PE.InterSciencePlace, 1, 139-162.

Lucena, W. G. L., Santos, J. M. A., Assis, J. T., & Santos, M. C. (2014). Fatores que influenciam o endividamento e a inadimplência no Setor Imobiliário da cidade de Toritama-PE à luz das Finanças Comportamentais. Holos, 6, 90-113.

Macedo, M. A. da S., Almeida, J. E. F. de, & Dornelles, O. M. (2016). Os mercados acionários internacionais reagem mais às demonstrações contábeis ou às notícias? O caso do escândalo do Banco HSBC. Pensar Contábil, 18(67), 5-22.

Marques, L. D. (2000). Modelos Dinâmicos com Dados em Painel: Revisão de Literatura. WorkingPaper, Faculdade de Economia do Porto. Recuperado em 7 janeiro, 2017, de http://www.fep.up.pt/investigacao/workingpapers/wp100.pdf

Marsden, A., Veeraraghavan, M., & Ye, M. (2008). Heuristics of Representativeness, Anchoring and Adjustment, and Leniency: Impact on Earnings Forecasts by Australian Analysts. Journal of Finance and Accounting, 47(2), 83-102.

Menard, S. (2002). Applied logistic regression analysis (Vol. 106). Sage.

Passos, J. C., Pereira, V. S. & Martins, V. F. (2012). Contextualizando a pesquisa em Finanças Comportamentais: Uma análise das principais publicações nacionais e internacionais que abrange o período de 1997 a 2010.Revista de Auditoria, Governança e Contabilidade (RAGC),1(1), 38-60.

Puckett, A, & Yan, X. S. (2008).Short-Term Institutional Herding and its Impacto on Stock Prices, in SSRN Electronic Journal. Recuperado em 24 janeiro, 2017, de https://www.researchgate.net/publication/228267058_Short-Term_Institutional_Herding_and_its_Impact_on_Stock_Prices

Ricciardi, V., & Simon, H. K. (2000). What is behaioral finance? The Business, Education and Technology Journal, 2(2) 26-34.

Rogers, P., Securato, J. R., & de Sousa Ribeiro, K. C. (2007). Finanças comportamentais no Brasil: um estudo comparativo. Revista de Economia e Administração, 6(1).

Roth, G. C., Albuquerque, A. A. D., & Silva, D. M. D. (2012). Uma análise dos impactos causados pela alteração do rating soberano sobre o retorno das ações das dez empresas com maior volume de negociações na BM&FBOVESPA. In Congresso USP de Controladoria e Contabilidade (Vol. 12).

Sanches, M. V. (2013). Comportamento de manada em direção ao índice de mercado: evidências no mercado brasileiro de ações. Dissertação de mestrado em Administração de Empresas, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Santana, V. de F.,&Trovati, L. M. (2014). Pessimismo nas segundas-feiras: uma análise do efeito dia da semana no mercado de capitais brasileiro em períodos de crise e de estabilidade. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 4 (2), 38-53.

Sarlo Neto, A., Lopes, A. B., & Dalmácio. F. Z. (2010). A influência da estrutura de propriedade sobre a informatividade dos lucros contábeis divulgados pelas empresas negociadas na Bovespa. Base – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 7(4), 301-314.

Sewell, M. (2007). Behavioural Finance. University College London.

Shih, T., Hsu, A., Yang, S., & Lee, Chien-Chiang. (2012). Empirical research of herding behavior in the Pacific Basin stock markets: Evidence from the U.S. stock market rise (drop) in succession. Procedia – Social and Behavioral Sciences, 40, 7-15.

Sias, R. (2004). Institutional Herding. The Review of Financial Studies, 17(1), 165-206.

Silva, J. X. S. da., Barbedo, C. H. da S., & Araújo, G. S. (2015). Há Efeito Manada em Ações com Alta Liquidez do Mercado Brasileiro? Trabalhos para Discussão, Banco Central do Brasil, 1-19. Recuperado em 20 janeiro, 2017, de https://www.bcb.gov.br/pec/wps/port/TD386.pdf

Soares, R. O., Rostagno, L. M., & Soares, K. T. C. (2002). Estudo de evento: o método e as formas de cálculo do retorno anormal. Anais do Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, 27, 30-33.

Tarik, F. R. (2014). Evidência do efeito manada em fundos de renda variável na indústria de fundos brasileira. Dissertação do mestrado em Macroeconomia, Fundação Getúlio Vargas (FGV/EESP), São Paulo, SP, Brasil.

Teh, L. & Debondt, W. F.M. (1997). Herding behavior and stock returns: an exploratory investigation. Swiss Journal of Economics and Statistics, 133, 293- 324.

Tibúrcio, C. A. S., Carvalho, C. C. de., & Nunes, D. M. S. (2012). O que move o preço da ação? Uma abordagem sobre a influência das notícias no mercado acionário. REUNIR – Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade, 2(3), 1-13

Tosmayi, G. (2006). Kinetic models of opinion formation. Communications in Mathematical Sciences, 4(3), 481-496

Venezia, I., Nashikkar, A., & Shapira, Z. (2011). Firm specific and macro herding by professional and amateur investors and their effects on market volatility. Journal of Banking & Finance, 35(7), 1599-1609.

Yao, J., MA, C. & HE, W. P. (2014). Investor herding behaviour of Chinese stock market. International Review of Economics & Finance, 29, 12-29.

Zhou, J., Anderson, R. (2013) I. An empirical investigation of herding behavior in the U.S. REIT Market. Journal of Real Estate Finance and Economics, 47(1), 83-108.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-766220192730

Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional