Estudo de Caso CRT: contabilização de instrumentos financeiros

Adolfo Henrique Coutinho e Silva, Moacir Sancovschi

Resumo


Este caso foi desenvolvido para a aprendizagem dos conceitos contábeis relativos ao reconhecimento e à classificação de instrumentos financeiros híbridos de capital, bem como para uma reflexão sobre o processo de preparação das demonstrações financeiras de uma empresa obrigada a utilizar as Normas Internacionais de Contabilidade. No ano de 2014, a Concessionária Rio-Teresópolis (CRT) divulgou um Fato Relevante, informando sobre a mudança voluntária da firma de auditoria independente, em decorrência de uma discordância de tratamento contábil de debêntures conversíveis. O caso requer que o estudante, atuando no papel de consultor, avalie as características das debêntures conversíveis emitidas, vis-à-vis a orientação contida nas normas contábeis vigentes, e apresente uma proposta de tratamento contábil a ser adotado pela empresa. Adicionalmente, o estudante deve: a) elaborar as demonstrações contábeis utilizando o tratamento contábil alternativo (distinto da minuta apresentada pela empresa); b) demonstrar os possíveis impactos sobre os indicadores financeiros de endividamento; e c) apresentar as possíveis consequências econômicas que uma mudança de prática contábil pode gerar. As tarefas solicitadas no caso têm como objetivo ampliar os conhecimentos de alunos de graduação ou pós-graduação de cursos de Contabilidade Financeira na aplicação prática de uma norma contábil relevante, bem como reconhecer a importância da aplicação do julgamento profissional no processo contábil.

Palavras-chave


Contabilidade; Passivos; Instrumentos Financeiros Híbridos de Capital; Debêntures Conversíveis.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Amendola, R. S., Batista, T. C., & Szuster, N. (2015). A evidenciação de instrumentos financeiros híbridos: o caso de uma empresa do setor de energia elétrica. Anais do Congresso UFSC de Controladoria e Finanças e Congresso Iberoamericano de Contabilidad e Gestión, Florianópolis, SC, Brasil, 6, 9.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC. (2009). Pronunciamento técnico CPC 39. Recuperado em 22 março, 2019, de http://static.cpc.aatb.com.br/Documentos/410_CPC_39_rev%2013.pdf

Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC. (2011). Estrutura conceitual para elaboração e divulgação de Relatório Contábil-Financeiro: CPC 00. Recuperado em 22 março, 2019, de www.cpc.org.br/CPC/Documentos-Emitidos/Pronunciamentos

Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC. (2018). Recuperado em 22 março, 2019, de www.cpc.org.br

Concessionária Rio Teresópolis – CRT (2014a). Ata da reunião do Conselho de Administração realizada no dia 3 de outubro de 2014. Recuperado em 22 março, 2019, de https://www.crt.com.br/arquivos/3685764/RCA%20%2003.10.2014.pdf

Concessionária Rio Teresópolis – CRT (2014b). Substituição de auditor independente. Recuperado em 22 março, 2019, de https://www.crt.com.br/.

Concessionária Rio Teresópolis – CRT. (2018a). Galeria de fotos. Recuperado em 22 março, 2019, de http://www.crt.com.br/galeriafotos_fotos.asp?id=18&secao=Engenharia

Concessionária Rio Teresópolis – CRT. (2018b). Vídeos. Recuperado em 22 março, 2019, de http://crt.com.br/conteudo_view.asp?id=99104&secao=Videos

Comissão de Valores Mobiliários – CVM. (2018). Recuperado em 22 março, 2019, de www.cvm.gov.br

Costa Jr, J. V., Silva, A. B., & Neto, A. S. (2015). Efeito da classificação de IF compostos sobre julgamento de analistas. Anais do Congresso de Contabilidade e Governança da Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil, 1.

Couto, A., & Martins, R. Debêntures perpétuas e instrumentos híbridos. (2014). Valor Econômico. Recuperado em 25 março, 2019, de www.valor.com.br/opiniao/3759894/debentures-perpetuas-e-instrumentos-hibridos

Falcão, M. Energisa terá que republicar balanços. (2012). Valor Econômico. Recuperado 25 de março, 2019, de www.valor.com.br/EMPRESAS/2526620/ENERGISA-TERA-QUE-REPUBLICAR-BALANCOS

Grant Thornton. (2013). Liability or equity? A practical guide to the classification of financial instruments under IAS 32. Recuperado em 25 março, 2019, de www.grantthornton.tw/en/article-page/liability-or-equity/

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (2015). Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas.

King, T. E., Ortegren, A. K., & King, R. M. (1990). A reassessment of the alocation of convertible debt proceeds and the implications for other hybrid financial instruments. Accounting Horizons, 4(3), 10-19.

Schmidt, M. (2013). Equity and liabilities: a discussion of IAS 32 and a critique of the classification. Accounting in Europe, 10(2), 201-222

Silva, A. B., & Costa Jr, J. V. (2014). Abordagens para a classificação contábil de instrumentos financeiros híbridos e compostos: um estudo de caso com uma companhia aberta brasileira. Anais do Congresso Anpcont, Rio de Janeiro, RJ, 8.

Simplific Pavarini. (2013). Relatório anual do Agente Fiduciário: 6ª emissão de debêntures simples. Recuperado em 22 março, 2019, de http://www.simplificpavarini.com.br/RAF-CAMARGO-2013.pdf

Simplific Pavarini. (2014). Relatório anual do Agente Fiduciário: 3ª emissão de debêntures. Recuperado em 22 março, 2019, de http://www.simplificpavarini.com.br/RAF-CONTAX-2014.pdf

Simplific Pavarini. (2018). Concessionária Rio-Teresópolis S.A. – CRT: 1ª Emissão de Debêntures em série única. Recuperado em 22 março, 2019, de http://www.simplificpavarini.com.br/CAR-CRT-SP.htm

Torres, F. (2016). Autarquia chama atenção para híbrido. Valor Econômico. Recuperado em 25 março, 2019, de www.valor.com.br/empresas/4455098/autarquia-chama-atencao-para-hibrido

Viri, N. (2013). Minerva poderá republicar balanços de 2011 e 2012. Valor Econômico. Recuperado em 25 março, 2019, de www.valor.com.br/empresas/3023624/minerva-podera-republicar-balancos-de-2011-e-2012

Viri, N., & Torres, F. (2012). Marfrig terá de reclassificar contas dos balanços de 2011 e 2012. Valor Econômico. Recuperado em 25 março, 2019, de www.valor.com.br/empresas/2870240/marfrig-tera-que-reclassificar-contas-dos-balancos-de-2011-e-2012




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-766220192819

Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional