Contribuição do hábito de leitura dos discentes do curso de Ciências Contábeis para o desenvolvimento de competências profissionais

Deborah Maria de Sousa Nascimento, Editinete Andre da Rocha Garcia, Antonio Rodrigues Albuquerque Filho

Resumo


Este estudo objetivou identificar a contribuição do hábito de leitura dos estudantes de ciências contábeis para a sua formação profissional como contadores a partir da aplicação do teste de Cloze (Taylor, 1953) e da escala de funções de leitura (Greaney & Neuman, 1990). Assim, a pesquisa de caráter exploratório investiga, em uma instituição de ensino superior, se o hábito de leitura dos estudantes favorece a utilização de tal habilidade como instrumento para desenvolver competências profissionais do contador. A amostra é composta de 180 universitários do curso de Ciências Contábeis de uma instituição de ensino superior, obtida por acessibilidade. Na coleta de dados, foi aplicado questionário contendo a escala de funções da leitura, com as funções aprendizagem, utilidade, moralidade e estímulo, bem como um texto preparado segundo a técnica Cloze. As respostas foram consolidadas e analisadas à luz do que estabelece o Dicionário de Competência do Contador. A partir dos resultados da aplicação do teste de Cloze, verifica-se que os alunos apresentam dificuldades na compreensão textual. Em relação aos testes de função de leitura, os resultados demonstraram maior uso das funções aprendizagem e utilidade pelos universitários. Verificou-se que há ambiente propício para o desenvolvimento das competências do contador ligadas à aprendizagem e à utilidade por meio da leitura, porém as funções moralidade e estímulo precisam ser incentivadas de modo a superar as dificuldades de compreensão.

Palavras-chave


Funções da leitura; Compreensão da leitura; Competências do contador.

Texto completo:

PDF PDF (English) ePUB

Referências


Abdolmohammadi, M. J., Searfoss, D. G., & Shanteau, J. (2004). An investigation of the attributes of top industry audit specialists. Behavioral Research in Accounting, 16(1), 1-17.

Alves, S. V. (2005). Trabalhando as inteligências múltiplas em sala de aula. Brasília: Plano.

American Institute of Certified Public Accountants. Core competency framework for entry into the accounting professions. New York: American Institute of Certified Public Accountants, 1999.

Arrigucci, D., Jr. (1994). Leitura: entre o fascínio e o pensamento. Série Idéias, (13), 19-24.

Beck, F., & Rausch, R. B. (2015). Fatores que influenciam o processo ensino-aprendizagem na percepção de discentes do curso de ciências contábeis. Contabilidade Vista & Revista,25(2), 38-58.

Bormuth, J. R. (1968). Cloze test readability: Criterion reference scores. Journal of educational measurement, 5(3), 189-196.

Bower, J. B. (1957). A Profession of Accounting-or of Accountancy? The Accounting Review, 32(2), 194.

Boyatzis, R. E., Stubbs, E. C., & Taylor, S. N. (2002). Learning cognitive and emotional intelligence competencies through graduate management education. Academy of Management Learning & Education, 1(2), 150-162.

Brito, D. S. (2010). A importância da leitura na formação social do indivíduo. Periódico de Divulgação Científica da FALS, 4(8), 1-35.

Cardoso, J. L., de Souza, M. A., & Almeida, L. B. (2006). The accountant’s profile in the present: an exploratory study.BASE: Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos,3(3), 275-284.

Cardoso, R. L. (2006). Competências do contador: um estudo empírico. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-03042007-100732/

Cardoso, R. L., & Riccio, E. L. (2010). Existem competências a serem priorizadas no desenvolvimento do contador? Um estudo sobre os contadores brasileiros. REGE Revista de Gestão, 17(3), 353-367.

Centofanti, E. M., Ferreira, S. M., & Del Tedesco, T. (1997). Compreensão da leitura por universitários de psicologia. In G. P. Witter (Org.). Leitura e universidade (pp. 33-60). Campinas: Alínea.

Chaguri, A., Barbosa, B. A., Arouca, E. A., & Wuo, M. (1997). Compreensão de leitura: estudo comparativo entre universitários. Psicologia leitura & universidade, 61-76.

Conselho Federal de Contabilidade (1996). Resolução CFC nº. 803, de 10 de outubro de 1996. Aprova o Código de Ética Profissional do Contador – CEPC. Brasília: Autor. Recuperado de: http://www2.cfc.org.br/sisweb/sre/detalhes_sre.aspx?Codigo=1996/000803

Correia, M. S. B. B. (2003). Probabilidade e estatística (2a ed.). Belo Horizonte: PUC Minas Virtual.

Cunha, N. B., & Santos, A. A. A. dos (2006). Relação entre a compreensão da leitura e a produção escrita em universitários. Psicologia: Reflexão e Crítica, 19(2), 237-245.

Fleury, M. T. L., & Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea, 5(Edição Especial), 183-196.

Francis, M. C., Mulder, T. C., & Stark, J. S. (1995). Intentional learning: a process for learning to learn in the accounting curriculum. Sarasota, FL: Accounting Education, Change Comission and American Accounting Association, 1995. Accounting Education Series, 12.

Freire, P. (2017). A importância do ato de ler em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez.

Freitag, R. M. K., Sarmento, V. H. V., Costa, C. C., & Santos, K. L. (2015). Teste cloze e a competência em leitura de universitários: uma experiência no curso química/licenciatura da UFS/Itabaiana. InterSciencePlace, 1(30), 1-13.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2012). Métodos e técnicas de pesquisa social (6a ed.) São Paulo: Atlas.

Greaney, V., & Neuman, S. B. (1990). The functions of reading: a cross-cultural perspective. Reading Research Quarterly, 25(3), 172-195.

Hardern, G. (1995). The development of standards of competence in accounting. Accounting Education, 4(1), 17-27.

Henning, D. A., & Moseley, R. L. (1970). Authority role of a functional manager: the controller. Administrative science quarterly, 482-489.

Henry, L. J. (1995). Persistence leads to accounting performance: How to spot a persistent potential employee. Arkansas Business and Economic Review, 28(3), 1-6.

International Federation of Accountants’ Education Committee. Towards competent professional accountants. New York: IFAC, 2003.

Kester, R (1928). The importance of the controller. The Accounting Review, 3(3), 237-251.

Martins, G. D. A., & Theóphilo, C. R. (2009). Metodologia da pesquisa científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

Masetto, M. T. (2003). Competência pedagógica do professor universitário (Cap. 2, pp. 19-33). São Paulo: Summus.

McClelland, D. C. (1973). Testing for competence rather than for “intelligence”. American psychologist, 28(1), 1-14.

Mohamed, E. K., & Lashine, S. H. (2003). Accounting knowledge and skills and the challenges of a global business environment. Managerial finance, 29(7), 3-16.

Morgan, G. J. (1997). Communication skills required by accounting graduates: practitioner and academic perceptions. Accounting Education, 6(2), 93-107.

Needles, B. E., Jr, Cascini, K., Krylova, T., & Moustafa, M. (2001). Strategy for Implementation of IFAC International Education Guideline No. 9: “Prequalification Education, Tests of Professional Competence and Practical Experience of Professional Accountants”: A Task Force Report of the International Association for Accounting Education and Research (IAAER). Journal of International Financial Management & Accounting, 12(3), 317-353.

Oliveira, M. H. M. A. D. (1996). Funções da leitura para estudantes de graduação. Psicologia Escolar e Educacional, 1(1), 61-68.

Oliveira, R. Á. M. D., & Oliveira, K. L. D. (2007). Leitura e condições de estudo em universitários ingressantes. Psic: revista da Vetor Editora, 8(1), 51-59.

Pinto, C. J. A., Alvarenga, M. A. P., & Kock, R. A. A. (1997). Hábito de leitura e compreensão de texto entre universitários. In G. P. Witter (Org.). Psicologia: leitura e universidade (pp. 33-60). Campinas: Alínea.

Pires, E. D. N. (2012). A importância do hábito da leitura na universidade. Revista ABC: Biblioteconomia em Santa Catarina, 17(2), 365-381.

Ramirez, P. (2003). Uma estratégia para melhoria da formação de competências para o profissional de nível técnico na área de gestão. Dissertação de Mestrado, Centro Universitário Nove de Julho, São Paulo, SP, Brasil.

Raupp, F. M., & Beuren, I. M. (2006). Metodologia da Pesquisa Aplicável às Ciências. In I. M. Beuren (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática (Cap. 3, pp. 76-97). São Paulo: Atlas.

Ribeiro, J. U. (2011). Um brasileiro em Berlim. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Richardson, R. J. (2012). Pesquisa social: métodos e técnicas (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Santos, A. A. A., Primi, R., de O. S., Taxa, F., & Vendramini, C. M. (2002). O teste de Cloze na avaliação da compreensão em leitura. Psicologia: reflexão e crítica, 15(3), 549-560.

Santos, A. A., Suehiro, A. C., & Oliveira, K. L. D. (2004). Habilidades em compreensão da leitura: um estudo com alunos de psicologia. Estudos de Psicologia, 21(2), 29-41.

Siegel, G., & Sorensen, J. E. (1999). Counting more, counting less. Transformations in the management accounting profession. Institute of Management Accountants.

Silva, E. T. da (1992). O ato de ler: fundamentos psicológicos para uma nova pedagogia da literatura. São Paulo: Cortez.

Spencer, L. M., & Spencer, S. M. (1993). Competence at Work. New York: Johwn Wiley & Sons.

Taylor, W. L. (1953). “Cloze procedure”: a new tool for measuring readability. Journalism Bulletin, 30(4), 415-433.

Tourinho, C. (2012). Refletindo sobre a dificuldade de leitura em alunos do ensino superior: “deficiência” ou simples falta de hábito? Revista Lugares de Educação, 1(2), 325-346.

Valentim, M. L. P. (2008). Criatividade e inovação na atuação profissional. CRB-8 Digital, 1(1), 3-9.

Witter, G. P. (1996). Avaliação da produção científica sobre leitura na universidade (1989/1994). Psicologia Escolar e Educacional, 1(1), 31-37.

Witter, G. P. (1997). Leitura e universidade. In G. P. Witter (org.). Psicologia: leitura e universidade (pp. 9-18). Campinas: Alínea.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-766220192825

Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional