Mercado acionário e variáveis macroeconômicas: evidências para o Brasil

Luan Vinicius Bernardelli, Gustavo Henrique Leite de Castro

Resumo


Este trabalho analisa a influência das variáveis macroeconômicas sobre o mercado acionário. Trata-se de uma temática importante a ser examinada no atual contexto econômico, que se destaca pela grave crise e pelo contínuo crescimento do mercado acionário. Dessa forma, cobre-se uma lacuna de pesquisa existente sobre os atuais movimentos do mercado acionário. Para alcançar esses objetivos foi aplicado o método dos mínimos quadrados generalizados com correção de prais-winsten, que visa a corrigir o problema autorregressivo de primeira ordem. Os resultados mostram que as variáveis macroeconômicas continuam exercendo influência sobre o Ibovespa, conforme preconiza a literatura. No entanto, a variável de estabilidade financeira do governo central não possui poder explicativo sobre o índice do mercado acionário nacional, estando de acordo com outros autores e convergindo com as observações empíricas presenciadas de 2016 a 2019, de desequilíbrio fiscal e crescimento do Ibovespa.

Palavras-chave


Macroeconomia; Mercado financeiro; Desempenho; Mercado de ações.

Texto completo:

PDF PDF (English) EPUB

Referências


Aga, M., & Kocaman, B. E. R. N. A. (2006). An empirical investigation of the relationship between inflation, P/E ratios and stock price behaviors using a new series called Index-20 for Istanbul Stock Exchange. International Research Journal of Finance and Economics, 6(3), 133-165.

Aggarwal, R. (1981). Exchange rates and stock prices: A study of U.S. capital markets under floating exchange rates. Akron Business and Economics Review, 22(2), 7-12.

Angelico, D. G., & de Oliveira, S. C. (2016). Modelo ARMA-GARCH e precedência temporal entre índices acionários. Revista Gestão da Produção, Operações e Sistemas, 11(1), 97.

Arantes, F., & Lopreato, F. (2017). O novo consenso em macroeconomia no Brasil: a política fiscal do plano real ao segundo governo Lula. Revista de Economia Contemporânea, 21(3), 1-34.

BACEN, Banco Central do Brasil. (2019a). Sistema Gerenciador de Séries Temporais. Recuperado em 28 junho, 2019, de https://www3.bcb.gov.br/sgspub

BACEN, Banco Central do Brasil. (2019b). Manual de Estatísticas Fiscais. Recuperado em 02 setembro, 2019, de https://www.bcb.gov.br/ftp/infecon/Estatisticasfiscais.pdf

Bernardelli, L. V., & Bernardelli, A. G. (2016). Análise sobre a Relação do Mercado Acionário com as Variáveis Macroeconômicas no Período de 2004 a 2014. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 4(1), 4-17.

Bernardelli, L. V., Bernardelli, A. G., & Castro, G. H. L. de (2017). A Influência das Variáveis Macroeconômicas e do Índice de Expectativas no Mercado Acionário Brasileiro: Uma Análise Empírica para os Anos de 1995 a 2015. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 7(1), 78-96.

BMF&BOVESPA, Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. (2019). Índice Bovespa (Ibovespa). Recuperado em 28 junho, 2019, de http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/produtos/indices/indices-amplos/indice-bovespa-ibovespa.htm

Boucher, C. (2006). Stock prices, inflation and stock returns predictability. Finance, 27(2), 71-101.

Bouvatier, V., & Lepetit, L. (2008). Banks procyclicality behavior: does provisioning matter? Journal of International Financial Markets, Institutions and Money, 18(5), 513-526.

Brondani, E. L. A., Baggio, D. K., Agudo, L. F., & Sanjuán, I. M. (2013). Influência do índice Dow Jones industrial average sobreo índice Ibovespa. Horizontes Empresariales, 12(2), 23-44.

Bueno, R. L. S. (2011). Econometria de Séries Temporais. (2. ed.). São Paulo: Cengage Learning.

Chamberlain, S., Howe, J. S., & Popper, H. (1997). The exchange rate exposure of US and Japanese banking institutions. Journal of banking & finance, 21(6), 871-892.

Chen, N. F. (1991). Financial investment opportunities and the macroeconomy. The Journal of Finance, 46(2), 529-554.

Chen, S. S. (2009). Predicting the bear stock market: Macroeconomic variables as leading indicators. Journal of Banking & Finance, 33(2), 211-223.

Clare, A. D., & Thomas, S. H. (1994). Macroeconomic Factors, the APT and the UK Stockmarket. Journal of Business Finance & Accounting, 21(3), 309-330.

Dantas, J. A., Micheletto, M. A., Cardoso, F. A., & Sá, A. A. P. F. de (2017). Perdas em crédito nos bancos brasileiros: modelos de perdas esperadas e de perdas incorridas e impactos da IFRS 9. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 7(2), 156-175.

Durigan Júnior, C. A., Saito, A. T., Bergmann, D. R., & Fouto, N. M. M. (2018). Fatores macroeconômicos, indicadores industriais e o spread bancário no Brasil. Revista de Ciências da Administração, 51(20), 26-41.

Farias, H. P., & Sáfadi, T. (2009). Causalidade entre as principais bolsas de valores do mundo. Revista de Administração Mackenzie (Mackenzie Management Review), 11(2).

Franzen, A., Meurer, R., Gonçalves, C. E. S., & Seabra, F. (2009). Determinantes do fluxo de investimentos de portfólio para o mercado acionário brasileiro. Estudos Econômicos (São Paulo), 39(2), 301-328.

Gaio, L. E., Ambrozini, M. A., Bonacim, C. A. G., & Junior, T. P. (2014). Interdependência entre os mercados mundiais de ações: uma análise de volatilidades. Revista Base (Administração e Contabilidade) da UNISINOS, 11(3), 259-274.

Geske, R., & Roll, R. (1983). The fiscal and monetary linkage between stock returns and inflation. The journal of Finance, 38(1), 1-33.

Greene, W. (2012). Econometric analysis. (7. ed.). New York: Pearson.

Grôppo, G. S. (2004). Causalidade das variáveis macroeconômicas sobre o Ibovespa. Dissertação de mestrado, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, USP, Piracicaba, SP, Brasil.

Grôppo, G. (2005). Relações dinâmicas entre um conjunto selecionado de variáveis macroeconômicas e o Ibovespa. Revista de Economia e Administração, 4(4).

Gujarati, D. N., & Porter, D. C. (2011). Econometria Básica (5. ed.). Porto Alegre: Bookman.

Islam, S. M., & Watanapalachaikul, S. (2003). Time series financial econometrics of the Thai stock market: a multivariate error correction and valuation model. Global Finance, 10(5), 90-127.

Issam, S. A., Abdalla, & Victor, M. (1997). Exchange rate and stock price interactions in emerging financial markets: evidence on India, Korea, Pakistan and the Philippines. Applied financial economics, 7(1), 25-35.

Kumar, P. (2008). Is Indian Stock Market Related with Exchange Rate and Inflation? An Empirical Test Using Time Series. An Empirical Test Using Time Series (October 14, 2008).

Kwon, C. S., & Shin, T. S. (1999). Cointegration and causality between macroeconomic variables and stock market returns. Global Finance Journal, 10(1), 71-81.

Machado, M. R. R., Gartner, I. R., & Machado, L. (2018). Relação entre Ibovespa e Variáveis Macroeconômicas: Evidências a Partir de um Modelo Markov-Switching. Revista Brasileira de Finanças, 15(3), 435-468.

Maysami, R. C., & Koh, T. S. (2000). A vector error correction model of the Singapore stock market. International Review of Economics & Finance, 9(1), 79-96.

Maysami, R. C., Howe, L. C., & Rahmat, M. A. (2004). Relationship between macroeconomic variables and stock market indices: Cointegration evidence from stock exchange of Singapore’s all-S sector Indices. Jurnal Pengurusan (UKM Journal of Management), 24.

Nieh, C. C., & Lee, C. F. (2001). Dynamic relationship between stock prices and exchange rates for G-7 countries. The Quarterly Review of Economics and Finance, 41(4), 477-490.

Oliveira, G. R., & Medeiros, R. O. (2009). Testando a Existência de Efeitos Lead-Lag entre os Mercados Acionários Norte-Americano e Brasileiro. BBR-Brazilian Business Review, 6(1).

Oliveira, J. C. T., & Frascaroli, B. F. (2014). Impacto dos fatores macroeconômicos na emissão de ações na bolsa de valores. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 4(1), 30-51.

Oliveira, L. O. G. (2006). Análise Empírica da Relação Entre o Mercado Acionário e Variáveis Macroeconômicas: de 1972 a 2003. Recuperado em 28 junho, 2019, de www.tede.ufsc.br/teses/PCNM0125.pdf

Phylaktis, K., & Ravazzolo, F. (2005). Stock market linkages in emerging markets: implications for international portfolio diversification. Journal of International Financial Markets, Institutions and Money, 15(2), 91-106.

Pimenta Junior, T., & Higuchi, R. H. (2008). Variáveis macroeconômicas e o Ibovespa: um estudo da relação de causalidade. REAd-Revista Eletrônica de Administração, 14(2), 296-315.

Pimenta, T. P., & Scherma, F. R. (2010). Um estudo da influência entre o dólar e o ibovespa no período 1999-2003. GESTÃO. Org-Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, 3(1).

Santana, H. N., de Lima, S. A., & Ferreira, B. P. (2018). 20 Anos de Real: uma análise da relação entre câmbio, inflação, taxa de juros e o Ibovespa. Revista Gestão & Tecnologia, 18(2), 44-69.

Santos, J. O., & Coelho, P. A. (2010). Análise da relação risco e retorno em carteiras compostas por índices de bolsa de valores de países desenvolvidos e de países emergentes integrantes do bloco econômico BRIC. Revista Contabilidade & Finanças, 21(54), 23-37.

Sanvicente, A. Z. (2015). Relevância de prêmio por risco país no custo de capital das empresas. Revista de Administração Contemporânea, 19(spe), 38-52.

Silva, A., Silva Barbosa, J., & Ribeiro, F. (2016). Comportamento do Volume de Negociações e do Risco de Mercado antes e após os Resultados das Eleições Presidenciais em 2014: Um Estudo com Empresas Brasileiras de Capital Aberto. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 5(1), 39-55.

Silva Ribeiro, A. A., Leite, Á. R., & Justo, W. R. (2016). Análise de cointegração e causalidade entre variáveis macroeconômicas e o índice Dow Jones sobre o Ibovespa. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 9(1), 121-137.

Silva, F. M., & Coronel, D. A. (2012). Análise da Causalidade e Cointegração entre Variáveis macroeconômicas e o Ibovespa. Revista de Administração FACES Journal, 2(3) 31-52.

Silva, R., & Gamboa, U. R. de (2011). Regime fiscal e sustentabilidade da dívida pública brasileira-1986 a 2006. Revista Gestão & Políticas Públicas, 1(1), 250-280.

Soenen, L. A., & Aggarwal, R. (1989). Financial prices as determinants of changes in currency values. In 25th Annual Meetings of Eastern Finance Association, Philadelphia, 2(0), 2-2.

Soenen, L. A., & Hennigar, E. S. (1988). An analysis of exchange rates and stock prices – the US experience between 1980 and 1986. Akron Business and Economic Review, 19(4), 7-16.

Solnik, B. (1987). Using financial prices to test exchange rate models: A note. The journal of Finance, 42(1), 141-149.

Souza, N. A. (2016). Gestão estratégica do desenvolvimento endógeno: crescimento auto-sustentado exige novos investimentos. Interações, 8(13).

Vartanian, P. R. (2012). Impactos do índice Dow Jones, commodities e câmbio sobre o Ibovespa: uma análise do efeito contágio. Revista de Administração Contemporânea, 16(4), 608-627.

Vieira, F. V. (2004). Endividamento Público e Impactos sobre Fluxos de Capitais, Risco-País e Diferencial de Juros no Brasil (1995-2002): Modelo VAR e Testes de Causalidade. Análise Econômica, 22(42), 129-148.

Wu, C., & Su, Y. C. (1998). Dynamic relations among international stock markets. International Review of Economics & Finance, 7(1), 63-84.




DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-766220202892

Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, Brasil. ISSN: 2237-7662


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional