O equilíbrio do capital e a sua intensidade: pontos da filosofia neopatrimonialista - DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v6n18p41-56

Autores

  • Rodrigo Antônio Chaves da Silva

Palavras-chave:

Problemas Científicos, Equilíbrio do Capital, Neopatrimonialismo Filosófico, Intensidade do Equilíbrio, Meios de Análise

Resumo

O equilíbrio do capital é um estado funcional, ou de movimento das partes patrimoniais em prol dos lucros ou de alcance dos objetivos empresariais. A relatividade das funções sistemáticas do patrimônio aponta a razão da intensidade do equilíbrio, o grau em que o mesmo consegue se manter, isto é, a sua vitalidade no tempo de sua existência na continuidade aziendal. O objetivo do presente estudo, em caráter intervencionista, é mostrar os efeitos desta relação, de modo que uma análise avançada garanta profícua e zelosa consultoria contábil para uma administração patrimonial segura e coerente. O artigo discute este problema, que traduz uma das partes da teoria do Neopatrimonialismo Filosófico e que agrega valor à proposta do Neopatrimonialismo.

 


Biografia do Autor

Rodrigo Antônio Chaves da Silva

Contador; Escritor Contábil (mais de 50 artigos em sites e revistas, do Brasil e Exterior) e Membro da Associação Científica Internacional Neopatrimonialista (ACIN) e do Clube de Balanced Scorecard da Argentina.

Downloads

Publicado

19/10/2011

Como Citar

Silva, R. A. C. da. (2011). O equilíbrio do capital e a sua intensidade: pontos da filosofia neopatrimonialista - DOI: http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v6n18p41-56. Revista Catarinense Da Ciência Contábil, 6(18), p. 41–56. Recuperado de https://revista.crcsc.org.br/index.php/CRCSC/article/view/1055

Edição

Seção

Artigos